segunda-feira, 21 de janeiro de 2013

“Pérolas das bitches”

Escrevi esse texto um tempinho atrás, achei nos meus arquivos e resolvi postar porque posts de viagens são legais, mas esse blog tá precisando de um texto no estilo "bad girl".


Homem é tosco a maioria das vezes que abre a boca (SORRY boys, I love you anyway)  mas mulher também sabe ser bem tosca quando quer. Pensando em algumas pérolas que eu mesma já lancei ou já ouvi por ai de amigas bitches, resolvi escrever um post sobre isso. É aqui vão algumas...

Era véspera de ano novo, eu e mais uma amiga estávamos no lobby do hostel esperando para fazer check in, enquanto estávamos ali sentadas, esperando, a recepção do lugar bombava... entrava e saia gente a cada trinta segundos... e a maioria – para a nossa alegria – eram homens.

Nossos olhos pareciam bolinhas de ping-pong olhando para os belezinhas que entravam e saiam pela porta daquele hostel, estávamos tão hipnotizadas que esquecemos de olhar disfarçadamente, até que depois de longos minutos olhando incessantemente minha amiga se tocou e soltou a pérola “Nossa, vou até colocar o óculos escuro para não passar vergonha, porque não consigo parar de olhar pra esses caras”. Chorei!

Certa vez, uma amiga tava pegando um gringo. Ela ficou super empolgada, achando que ia rolar uma pegação fortíssima porque já fazia duas semanas que eles estavam de casinho. No fim das contas a bitch encontrou o gringo várias vezes, fez vários passeios estilo namorandinhos, e o gringo não pagou nem um guaraná pra ela e também não teve a atitude de convida-la para ficarem a sós. Furiosa, a bitch foi contar para suas amigas como foi a pegação com o gringo e ela disse “Pow, o cara além de não pagar nada, não prestou nem pra me comer”. Por sua vez, as amigas bitches responderam “Não acredito! O cara não te comeu e nem pagou a conta? Aaah esse ai nunca mais, né?”

Não é da natureza da mulher dizer ou ter atitudes toscas, mas dependendo da situação é necessário, por exemplo, quando a gente nunca tem ninguém pra dar uns pegas e de repente aparecem dois, o que fazer? No meu caso, tive que ser um pouco tosca...

Estava pegando um cara fazia uma semana e ele tava sendo meio grudento, eu tinha saído com ele na sexta e ele queria me ver de novo no sábado e no domingo, só que outro peguete já tinha me chamado pra sair no sábado, então falei pro grudentinho que eu tava meio doente e não ia sair àquela noite. Mas eu saí e dei uns pegas no outro cara – claro – e no domingo encontrei o grudentinho e dei uns pegas nele também, eu não estava muito a fim não, mas o cara era muito top, não dava pra negar !!!

Ainda considero homens e mulheres diferentes - em alguns aspectos - mas quando se trata de tosquisse, tanto calcinhas quanto cuecas, tem culpa no cartório!

domingo, 20 de janeiro de 2013

Into the Wild (América do sul) Puno

Clique aqui para ler sobre Machu Picchu 

Puno realmente não tem nada de interessante, ainda mais porque chegamos e estava chovendo muito. A cidade é bem feia, calçadas apertadas e trânsito infernal. Compramos os passeios pra fazer no dia seguinte, nos enfiamos no hostel e não saímos mais. E quando eu achei que já tinha curado da diarreia  a maldita voltou. E lá vou eu novamente tomar remédio!

Pela manhã começou o tour para a Isla de Uros e Taquile. A primeira são ilhas flutuantes que os próprios nativos fazem – no lago Titicaca - com uma espécie de planta chamada totora. É tudo feito com essa planta: as ilhas, os barcos e eles até comem a planta, mil e uma utilidades. O lugar é bonito, eles preservam os costumes dos ancestrais, então as crianças e as mulheres usam aquelas saias coloridas e tranças, é interessante, mas não gostei que tivemos que pagar 10 soles cada só pra atravessar o lago de barco por 5 minutos, sendo que já tínhamos pagado pelo tour e não avisaram que teríamos que pagar mais coisas no local. Enfim, acabamos ficando um pouco de mal-humor também porque o lugar fedia muito.








Ainda bem que esse passeio durou no máximo uma hora e meia e de lá seguimos para a Ilha Taquile – bem maior e mais interessante. Demora duas horas de barco, mas o lugar é incrível. Essa ilha superou a anterior sem dúvida. Tinha uma galera massa fazendo esse tour junto com a gente, fizemos muitas amizades bacanas.





Chegamos de volta em Puno no fim da tarde, era aniversário da Foguinho de Palha, paramos numa confeitaria em frente ao nosso hostel e compramos umas fatias de bolo para comemorar. Com certeza um dos melhores bolos que já comi. A essa altura eu não estava mais sentindo dor de estômago e a diarreia não deu mais sinal de vida, mas mesmo que eu tivesse mal não deixaria de comer aquela belezura de bolo!!! Na mesma noite já partimos para Tacna.



Chegamos em Tacna de manhã e já pegamos um táxi para Arica (Chile). A viagem de táxi durou uma hora e custou 3 mil pesos chilenos para cada. Estávamos tristes por nossa jornada pelo Peru ter terminado, mas prontas para começar a segunda parte da aventura em território chileno.



                                       (to be continued...)


quinta-feira, 10 de janeiro de 2013

Into the Wild (América do Sul) Cusco e Machu Picchu

Bolívia
Cara, eu sou muito detalhista para contar histórias, vai ser bem difícil resumir a viagem que fiz pelo Perú, Chile e Bolívia. Por isso, vou contar em partes...

No começo do ano passado, duas amigas e eu – que chamarei de Foguinho de Palha e Sexy Lady – começamos a planejar uma viagem pra algum lugar da América do Sul, eu ainda não estava convencida que queria ir pra lá – porque eu já estava juntando grana para um mochilão na Europa – mas depois de ver as fotos de um amigo que foi, me convenci imediatamente de que lá seria meu próximo destino internacional.


Depois de muita pesquisa estava tudo certo, o destino seria: no Perú: Cusco, Machu Picchu e Puno; no Chile: Deserto do Atacama e na Bolívia: Uyuni. E o roteiro foi o seguinte:


De São Paulo para Cusco (com escala em Lima) – 21/12/2012


Desembarcamos no aeroporto de Cusco bem cedo, já fechamos os pacotes dos passeios por lá mesmo. PS: o passeio para Machu Picchu (com tudo incluso) custou USD$250 e os passeios por Cusco (city tour) e Valle Sagrado 130 soles. Chegamos no hostel (Wild Rover) e descansamos um pouco, depois do almoço a van do passeio city tour foi nos buscar. Fizemos vários passeios legais por Cusco (Qorikancha, Saqsaywaman, Caverna da Pacha Mama e outros (todos os lugares são únicos e incrívelmente bonitos) e voltamos no fim da tarde para o hostel.







O hostel era show de bola: grande, camas confortáveis, Wi-fi, gente bonita e o melhor de tudo é que tinha um bar dentro do hostel e toda noite tinha festa. Na primeira noite rolou a festa do fim do mundo.


Garrafa de água que vendia no hostel (Wild Rover)

No dia seguinte pela manhã, a van foi novamente nos buscar para o passeio do Valle Sagrado, passamos por Pisaq e Ollantaytambo, esses lugares são super altos, nenhuma de nós passamos muito mal. Eu só senti um pouco de mal-estar, mas compramos a folha da coca e melhorei rápido – é muito boa mesmo, ajuda a respirar e a passar a sensação de cansaço . No fim da tarde ficamos em Ollanta e pegamos o trem para Águas Calientes. Amei os passeios desse dia, fomos nuns lugares feito de pedras (tudo obras dos incas) e a pérola do dia foi: “Os incas deviam ser tudo gostosão, né? Imagina, carregar esse monte de pedra pra cima e pra baixo?” (risos)











No trem, indo para Águas Calientes, a Foguinho de Palha, a Sexy Lady e eu estávamos com a bobeira – falando pelos cotovelos e rindo alto – e tinha um senhorzinho sentado ao nosso lado e pensamos “Coitado, ele não vê a hora da gente dormir e calar a boca”. Do nada, o senhor vira pra gente e começa a conversar. Meo, o cara falava mais que nós três juntas e a gente acabou só escutando as histórias dele, mas o velhinho era gente boa, ele era espanhol e tava viajando o mundo. Muito legal!


Águas Calientes e Machu Picchu - 23/12/2012


Acordamos bem cedo hoje – só pra variar – para pegarmos o ônibus para subir ao Machu Picchu, chegamos lá e já fomos direto para a porta do Wayna Picchu que abria às 7h. A subida dura de uma a uma hora e meia e é punk. Durante a escalada você passa por caminhos estreitos de terra e escadas de pedras muito inclinadas, foi mega cansativo, mas ao chegar no topo e ter a vista toda do Machu Picchu é uma sensação única, é de desacreditar no que seus olhos estão vendo. Achei a descida mais tranquila, apesar de ter que tomar mais cuidado para não escorregar nas pedras e cair. Encontramos nosso guia às 11h para começar o passeio pelo Machu Picchu. Foi muito incrível, realmente ter um guia é indispensável pois ele explica tudo a respeito.




Machu Picchu

Terminamos o passeio no fim da tarde, voltamos para o hostel em Águas Calientes, almoçamos carne de llama e ceviche (muito bom!) e ficamos lá esperando o horário do trem para voltarmos à Cusco. Chegamos em Cusco (no Wild Rover hostel) mais ou menos uma da manhã e fomos dormir. Pérola: compramos um Cup Noodles para jantar quando a Sexy Lady soltou a pérola para a funcionária do hostel “Tienes hot water?”. Ela teve um sério problema para falar, misturava Português, Espanhol e Inglês. Foi comédia!


De volta em Cusco 24/12/2012


Acordei doente hoje, com uma diarreia dos infernos! Não foi nenhuma comida e nem virose, foi só reação do corpo mesmo, depois de três dias de passeios sem parar meu corpo cedeu. Acabei gastando 45 soles com um remédio para a flora intestinal e passei o dia comendo sopa e sem fazer nada. A noite, a Foguinho e a Sexy Lady se trocaram e foram farrear. Da janela do nosso quarto dava pra ver a porta do bar, e eu fiquei só babando na galera se divertindo enquanto eu ficava de molho curtindo uma dor de barriga. Estava eu lendo no silêncio, quando chegaram umas australianas no nosso quarto, começaram a fazer maior bagunça e então, mesmo com dor de barriga, resolvi me trocar e descer no bar. Fiquei um tempo lá, mas como não podia beber, achei um saco voltei para o quarto para dormir.



Cusco


Natal em Cusco


Acordei bem melhor hoje, mas eu e as meninas ainda estávamos acabadas. Uma com dor no corpo, outra com moleza, outra com dor de cabeça. Então resolvemos tirar o dia pra fazer coisas light. Passeamos por Cusco, a cidade é bem legal, tem muita coisa pra fazer. A noite teve festa de Natal no hostel, a galera tava locassa, subindo no balcão pra dançar e aloprando. Bebi bagarai, pedimos musica pro DJ, quando ele começou a tocar “you spin my head right round...” Foguinho, Sexy Lady e eu subimos no balcão, a galera ficou besta e comentando “isso que é dançar!”. Não que a gente seja as “profissa da dança” mas perto daquelas europeias desengonçadas a gente engana que sabe tudo sobre dançar! Conhecemos um brasileiro muito gente boa, demos muitas risadas com ele, seu nome era Leandro, mas a gente cismava que era Leonardo, no fim das contas acabamos chamando ele de Leandro&Leonardo. A única que faturou foi a Foguinho, que pegou um irlandês. Eu fiquei mais louca que o Bozo e paguei maior mico tentando xavecar um dos barmen, que nem me deu bola. Bom, mesmo assim foi muito divertido! (risos)


No dia seguinte, acordamos bem cedo com a cara ainda cheia de maquiagem e partimos para Puno... to be continued! Clique aqui para ver a continuação.

FELIZ 2013 AEEEEEE

Sei que todos acharam que meu blog tinha morrido, mas NÃO, depois de quase um ano sem postar absolutamente nada, AQUI ESTOU! UHUUUUU!!!! (risos) O ano passado não foi um dos melhores para mim, quer dizer, até que aconteceram algumas coisas, mas confesso que bateu uma preguiça monstra de escrever. Enfim, estou de volta... e tenho muuuuuitas histórias bacanas para contar. Meu natal e ano novo dessa vez foram bem legais. Estava viajando pela Ámerica do Sul e foi uma das melhores viajens que já fiz na vida e uma das experiências mais loucas. Voltarei em breve para contar mais... valeu galera!!!

segunda-feira, 21 de janeiro de 2013

“Pérolas das bitches”

Escrevi esse texto um tempinho atrás, achei nos meus arquivos e resolvi postar porque posts de viagens são legais, mas esse blog tá precisando de um texto no estilo "bad girl".


Homem é tosco a maioria das vezes que abre a boca (SORRY boys, I love you anyway)  mas mulher também sabe ser bem tosca quando quer. Pensando em algumas pérolas que eu mesma já lancei ou já ouvi por ai de amigas bitches, resolvi escrever um post sobre isso. É aqui vão algumas...

Era véspera de ano novo, eu e mais uma amiga estávamos no lobby do hostel esperando para fazer check in, enquanto estávamos ali sentadas, esperando, a recepção do lugar bombava... entrava e saia gente a cada trinta segundos... e a maioria – para a nossa alegria – eram homens.

Nossos olhos pareciam bolinhas de ping-pong olhando para os belezinhas que entravam e saiam pela porta daquele hostel, estávamos tão hipnotizadas que esquecemos de olhar disfarçadamente, até que depois de longos minutos olhando incessantemente minha amiga se tocou e soltou a pérola “Nossa, vou até colocar o óculos escuro para não passar vergonha, porque não consigo parar de olhar pra esses caras”. Chorei!

Certa vez, uma amiga tava pegando um gringo. Ela ficou super empolgada, achando que ia rolar uma pegação fortíssima porque já fazia duas semanas que eles estavam de casinho. No fim das contas a bitch encontrou o gringo várias vezes, fez vários passeios estilo namorandinhos, e o gringo não pagou nem um guaraná pra ela e também não teve a atitude de convida-la para ficarem a sós. Furiosa, a bitch foi contar para suas amigas como foi a pegação com o gringo e ela disse “Pow, o cara além de não pagar nada, não prestou nem pra me comer”. Por sua vez, as amigas bitches responderam “Não acredito! O cara não te comeu e nem pagou a conta? Aaah esse ai nunca mais, né?”

Não é da natureza da mulher dizer ou ter atitudes toscas, mas dependendo da situação é necessário, por exemplo, quando a gente nunca tem ninguém pra dar uns pegas e de repente aparecem dois, o que fazer? No meu caso, tive que ser um pouco tosca...

Estava pegando um cara fazia uma semana e ele tava sendo meio grudento, eu tinha saído com ele na sexta e ele queria me ver de novo no sábado e no domingo, só que outro peguete já tinha me chamado pra sair no sábado, então falei pro grudentinho que eu tava meio doente e não ia sair àquela noite. Mas eu saí e dei uns pegas no outro cara – claro – e no domingo encontrei o grudentinho e dei uns pegas nele também, eu não estava muito a fim não, mas o cara era muito top, não dava pra negar !!!

Ainda considero homens e mulheres diferentes - em alguns aspectos - mas quando se trata de tosquisse, tanto calcinhas quanto cuecas, tem culpa no cartório!

domingo, 20 de janeiro de 2013

Into the Wild (América do sul) Puno

Clique aqui para ler sobre Machu Picchu 

Puno realmente não tem nada de interessante, ainda mais porque chegamos e estava chovendo muito. A cidade é bem feia, calçadas apertadas e trânsito infernal. Compramos os passeios pra fazer no dia seguinte, nos enfiamos no hostel e não saímos mais. E quando eu achei que já tinha curado da diarreia  a maldita voltou. E lá vou eu novamente tomar remédio!

Pela manhã começou o tour para a Isla de Uros e Taquile. A primeira são ilhas flutuantes que os próprios nativos fazem – no lago Titicaca - com uma espécie de planta chamada totora. É tudo feito com essa planta: as ilhas, os barcos e eles até comem a planta, mil e uma utilidades. O lugar é bonito, eles preservam os costumes dos ancestrais, então as crianças e as mulheres usam aquelas saias coloridas e tranças, é interessante, mas não gostei que tivemos que pagar 10 soles cada só pra atravessar o lago de barco por 5 minutos, sendo que já tínhamos pagado pelo tour e não avisaram que teríamos que pagar mais coisas no local. Enfim, acabamos ficando um pouco de mal-humor também porque o lugar fedia muito.








Ainda bem que esse passeio durou no máximo uma hora e meia e de lá seguimos para a Ilha Taquile – bem maior e mais interessante. Demora duas horas de barco, mas o lugar é incrível. Essa ilha superou a anterior sem dúvida. Tinha uma galera massa fazendo esse tour junto com a gente, fizemos muitas amizades bacanas.





Chegamos de volta em Puno no fim da tarde, era aniversário da Foguinho de Palha, paramos numa confeitaria em frente ao nosso hostel e compramos umas fatias de bolo para comemorar. Com certeza um dos melhores bolos que já comi. A essa altura eu não estava mais sentindo dor de estômago e a diarreia não deu mais sinal de vida, mas mesmo que eu tivesse mal não deixaria de comer aquela belezura de bolo!!! Na mesma noite já partimos para Tacna.



Chegamos em Tacna de manhã e já pegamos um táxi para Arica (Chile). A viagem de táxi durou uma hora e custou 3 mil pesos chilenos para cada. Estávamos tristes por nossa jornada pelo Peru ter terminado, mas prontas para começar a segunda parte da aventura em território chileno.



                                       (to be continued...)


quinta-feira, 10 de janeiro de 2013

Into the Wild (América do Sul) Cusco e Machu Picchu

Bolívia
Cara, eu sou muito detalhista para contar histórias, vai ser bem difícil resumir a viagem que fiz pelo Perú, Chile e Bolívia. Por isso, vou contar em partes...

No começo do ano passado, duas amigas e eu – que chamarei de Foguinho de Palha e Sexy Lady – começamos a planejar uma viagem pra algum lugar da América do Sul, eu ainda não estava convencida que queria ir pra lá – porque eu já estava juntando grana para um mochilão na Europa – mas depois de ver as fotos de um amigo que foi, me convenci imediatamente de que lá seria meu próximo destino internacional.


Depois de muita pesquisa estava tudo certo, o destino seria: no Perú: Cusco, Machu Picchu e Puno; no Chile: Deserto do Atacama e na Bolívia: Uyuni. E o roteiro foi o seguinte:


De São Paulo para Cusco (com escala em Lima) – 21/12/2012


Desembarcamos no aeroporto de Cusco bem cedo, já fechamos os pacotes dos passeios por lá mesmo. PS: o passeio para Machu Picchu (com tudo incluso) custou USD$250 e os passeios por Cusco (city tour) e Valle Sagrado 130 soles. Chegamos no hostel (Wild Rover) e descansamos um pouco, depois do almoço a van do passeio city tour foi nos buscar. Fizemos vários passeios legais por Cusco (Qorikancha, Saqsaywaman, Caverna da Pacha Mama e outros (todos os lugares são únicos e incrívelmente bonitos) e voltamos no fim da tarde para o hostel.







O hostel era show de bola: grande, camas confortáveis, Wi-fi, gente bonita e o melhor de tudo é que tinha um bar dentro do hostel e toda noite tinha festa. Na primeira noite rolou a festa do fim do mundo.


Garrafa de água que vendia no hostel (Wild Rover)

No dia seguinte pela manhã, a van foi novamente nos buscar para o passeio do Valle Sagrado, passamos por Pisaq e Ollantaytambo, esses lugares são super altos, nenhuma de nós passamos muito mal. Eu só senti um pouco de mal-estar, mas compramos a folha da coca e melhorei rápido – é muito boa mesmo, ajuda a respirar e a passar a sensação de cansaço . No fim da tarde ficamos em Ollanta e pegamos o trem para Águas Calientes. Amei os passeios desse dia, fomos nuns lugares feito de pedras (tudo obras dos incas) e a pérola do dia foi: “Os incas deviam ser tudo gostosão, né? Imagina, carregar esse monte de pedra pra cima e pra baixo?” (risos)











No trem, indo para Águas Calientes, a Foguinho de Palha, a Sexy Lady e eu estávamos com a bobeira – falando pelos cotovelos e rindo alto – e tinha um senhorzinho sentado ao nosso lado e pensamos “Coitado, ele não vê a hora da gente dormir e calar a boca”. Do nada, o senhor vira pra gente e começa a conversar. Meo, o cara falava mais que nós três juntas e a gente acabou só escutando as histórias dele, mas o velhinho era gente boa, ele era espanhol e tava viajando o mundo. Muito legal!


Águas Calientes e Machu Picchu - 23/12/2012


Acordamos bem cedo hoje – só pra variar – para pegarmos o ônibus para subir ao Machu Picchu, chegamos lá e já fomos direto para a porta do Wayna Picchu que abria às 7h. A subida dura de uma a uma hora e meia e é punk. Durante a escalada você passa por caminhos estreitos de terra e escadas de pedras muito inclinadas, foi mega cansativo, mas ao chegar no topo e ter a vista toda do Machu Picchu é uma sensação única, é de desacreditar no que seus olhos estão vendo. Achei a descida mais tranquila, apesar de ter que tomar mais cuidado para não escorregar nas pedras e cair. Encontramos nosso guia às 11h para começar o passeio pelo Machu Picchu. Foi muito incrível, realmente ter um guia é indispensável pois ele explica tudo a respeito.




Machu Picchu

Terminamos o passeio no fim da tarde, voltamos para o hostel em Águas Calientes, almoçamos carne de llama e ceviche (muito bom!) e ficamos lá esperando o horário do trem para voltarmos à Cusco. Chegamos em Cusco (no Wild Rover hostel) mais ou menos uma da manhã e fomos dormir. Pérola: compramos um Cup Noodles para jantar quando a Sexy Lady soltou a pérola para a funcionária do hostel “Tienes hot water?”. Ela teve um sério problema para falar, misturava Português, Espanhol e Inglês. Foi comédia!


De volta em Cusco 24/12/2012


Acordei doente hoje, com uma diarreia dos infernos! Não foi nenhuma comida e nem virose, foi só reação do corpo mesmo, depois de três dias de passeios sem parar meu corpo cedeu. Acabei gastando 45 soles com um remédio para a flora intestinal e passei o dia comendo sopa e sem fazer nada. A noite, a Foguinho e a Sexy Lady se trocaram e foram farrear. Da janela do nosso quarto dava pra ver a porta do bar, e eu fiquei só babando na galera se divertindo enquanto eu ficava de molho curtindo uma dor de barriga. Estava eu lendo no silêncio, quando chegaram umas australianas no nosso quarto, começaram a fazer maior bagunça e então, mesmo com dor de barriga, resolvi me trocar e descer no bar. Fiquei um tempo lá, mas como não podia beber, achei um saco voltei para o quarto para dormir.



Cusco


Natal em Cusco


Acordei bem melhor hoje, mas eu e as meninas ainda estávamos acabadas. Uma com dor no corpo, outra com moleza, outra com dor de cabeça. Então resolvemos tirar o dia pra fazer coisas light. Passeamos por Cusco, a cidade é bem legal, tem muita coisa pra fazer. A noite teve festa de Natal no hostel, a galera tava locassa, subindo no balcão pra dançar e aloprando. Bebi bagarai, pedimos musica pro DJ, quando ele começou a tocar “you spin my head right round...” Foguinho, Sexy Lady e eu subimos no balcão, a galera ficou besta e comentando “isso que é dançar!”. Não que a gente seja as “profissa da dança” mas perto daquelas europeias desengonçadas a gente engana que sabe tudo sobre dançar! Conhecemos um brasileiro muito gente boa, demos muitas risadas com ele, seu nome era Leandro, mas a gente cismava que era Leonardo, no fim das contas acabamos chamando ele de Leandro&Leonardo. A única que faturou foi a Foguinho, que pegou um irlandês. Eu fiquei mais louca que o Bozo e paguei maior mico tentando xavecar um dos barmen, que nem me deu bola. Bom, mesmo assim foi muito divertido! (risos)


No dia seguinte, acordamos bem cedo com a cara ainda cheia de maquiagem e partimos para Puno... to be continued! Clique aqui para ver a continuação.

FELIZ 2013 AEEEEEE

Sei que todos acharam que meu blog tinha morrido, mas NÃO, depois de quase um ano sem postar absolutamente nada, AQUI ESTOU! UHUUUUU!!!! (risos) O ano passado não foi um dos melhores para mim, quer dizer, até que aconteceram algumas coisas, mas confesso que bateu uma preguiça monstra de escrever. Enfim, estou de volta... e tenho muuuuuitas histórias bacanas para contar. Meu natal e ano novo dessa vez foram bem legais. Estava viajando pela Ámerica do Sul e foi uma das melhores viajens que já fiz na vida e uma das experiências mais loucas. Voltarei em breve para contar mais... valeu galera!!!

Receba um e-mail quando o blog for atualizado