quinta-feira, 23 de setembro de 2010

A ocasião faz o ladrão


Uma amiga foi no McDonald's com o namorado americano e ele perguntou o que ela queria e fez o pedido para a balconista “Por favor, dois McDouble, duas batatas grandes, chicken nuggets e duas Cocas grandes” imediatamente ela exclamou “Duas Cocas grandes? Não tem necessidade de duas e nem de serem grandes, já que são refis podemos pegar uma só pequena e encher toda vez que acabar”. Ele ficou sem entender qual era o propósito dela e pegou as duas Cocas de qualquer jeito.

O que vocês entendem por essa introdução? Que americano é mané e brasileiro é malandro? Pode até ser, mas a questão é: o povo americano não tem necessidade de ficar de malandragem pra todo lado. Uma Coca grande no McDonald's custa menos de 2 doláres, e você não precisa ficar levantando e enchendo o copo toda hora que acabar, que era o que ia acontecer se eles tivessem pego apenas um refrigerante pequeno. E além de tudo ele foi honesto, se tem duas pessoas que estão com sede, o justo é pagar por duas, não é mesmo? Mas a minha amiga é brasileira - e Aupair - então a primeira coisa que ela pensou foi em economizar, e é por isso que nós sempre somos os malandros da história.

Dizem que dinheiro não traz felicidade, que dinheiro não resolve todos os problemas, que dinheiro é maldito. Analisando por outro lado veja a comparação do Brasil e dos Estados Unidos:

Nos Estados Unidos, a maioria da população já nasce numa família bem estruturada financeiramente. O menino de 3 anos que eu tomo conta, por exemplo, tem mais dinheiro guardado do que eu, que faz 7 anos que não fico desempregada. Até ele crescer, ir pra faculdade e arrumar um emprego os pais dele vão o sustentar. É assim que uma família americana tradicional vive ao longo de sua vida, com muito conforto, viagens, boa assistência médica, boa educação, diversão etc.

No Brasil, a maiorida da população já nasce fudido, muitos sem nem ter onde morar, recebem uma péssima educação em escolas públicas, começam a trabalhar de mão de obra barata para pagar a própria faculdade, isso se o cidadão for corajoso e enfrentar o sufuco que é estudar e trabalhar ao mesmo tempo. É uma parcela pequena que realmente recebem em mãos um diploma de graduação e uma parcela menor ainda que tem esse certificado emitido por uma faculdade de boa qualidade e bem nomeada. Depois da difícil jornada dos estudos, vem a dificuldade de arrumar um emprego: muita concorrência e exigências absurdas. Isso para a grande maioria, que nasce pobre, não vou nem contar com os burguesinhos que tem de tudo e do melhor porque eles são uma parcela ridicularmente pequena por isso, quase inexistentes.

Reparem como muitos brasileiros querem tirar vantagem em cima de tudo, são descrente, invejam o vizinho que comprou um carro zero, invejam o colega de trabalho que comprou um apartamento novinho, passam pra trás amigos por causa de dinheiro, abandonam estudos para sustentar a família e isso sem mencionar o mais triste: entram para a vida do crime. Como na música do Racionais diz: “...tinha um pretinho, seu caderno era um fuzil”.

Não sou do tipo que em qualquer ocasião digo “Ah, é tudo culpa do Sistema”, eu sei sim, que muitos brasileiros não tiveram nem família e hoje são muito bem-sucedidos e concordo que nada é impossível quando você realmente quer algo. Mas que tem que ter muito peito para enfrentar a vida no Brasil, isso ninguém pode negar.

Bom, a minha amiga do caso da Coca não está mais namorando o tal do americano, mas se ela (de novo) ou alguma de vocês passarem por uma situação parecida, lembrem desses argumentos que aqui postei.

12 comentários:

  1. Pior que eh bem isso que você falou msm, naturalmente a gente pensa assim, até por que aqui no Brasil, um refil não custa menos de 2 reais.rsrsrs( pensando na mesma situação)

    beijos e te add la no meu blog.

    ResponderExcluir
  2. hehehehehe
    POis ehh.. verdadee!!!

    Beijoss.. Bom restinhu de semana!

    =]

    ResponderExcluir
  3. Eu acho que vc foi um pouco equivocada. Moro nos eua a um ano e conheço familias que não são tão abonadas assim não, que sofrem igual muitas familias no brasil. Se vc nao sabe, nos eua nao tem escolas de graça e hospital acessivel so pra quem tem insurance (seguro de saúde). Quem não tem, se ferra, pq é MUITO caro. E muita gente não tem. Tem gente perdendo casa pq nao consegue mais pagar as parcelas da mortgage. se vc é au pair em uma familia rica, sorte sua, mas a realidade é outra.

    ResponderExcluir
  4. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  5. Oi Anônima, td bem?
    Primeiro de tudo, obrigada pelo comentário.
    Segundo, vc COM CERTEZA não me conhece, né? Pq se sim, saberia que a política que uso para escrever meus textos é NUNCA GENERALIZAR, não sei vc, mas eu já ouvi a expressão "excessão da regra", então se vc não leu direito, ou leu mas não conseguiu interpretar... eu me refiro à MAIORIA da populacão americana que nasce com boas condicoes de vida. Eu também moro nos Estados Unidos e à um bom tempo, eu sei MTO bem como funcionam as coisas por aqui. Sei MTO bem que saúde não é acessível para todos, MAS é para uma ENORME porcentagem da populacão (pq eles tem dinheiro para pagar sim). Existem escolas de graca SIM. A minha host family está LOOOOOOGE de ser rica, e as minhas criancas todas vao para escolas publicas e mesmo assim eles tem o conforto que a MAIORIA das familias brasileira NAO TEM!!!!

    PS: APOSTO QUE VC EH BURGUESINHA!!!!

    ResponderExcluir
  6. Mari, posso dar uma palavrinha com essa anomina?
    Na boa filhota, se vc nao sabe entender um texto claro e obvio como esse nao leia! Pra comecar, o que vc ta fazendo morando no US se a realidade americana que vc aponta é zuada como a do Brasil? Entao vem pra ca gatinha hahaha, quanto a comparacao social que a Mari fez é logico que ate uma crianca de 10 anos manja que somos pais de TERCEIRO mundo e US de primeiro...cada uma viu. acorda!

    ResponderExcluir
  7. Estou a quase dois anos aqui como aupair e vivenciei duas realidades em familias diferentes. Confirmo a seu texto Mari pois estava em uma familia longe de ser rica e eles tem outra realidade das familias no Brasil.
    Acredito tbm que se a ANONIMA ta aqui so pra FALAR no Brasil "Moro nos EUA" se achando e nao ta feliz com a realidade , vai encarar a vida e Volta pro Brasil.
    Bju Mari e parabens mais uma vez pelos seus textos!!!

    ResponderExcluir
  8. Mari,desculpa mas tb vou ter q falar com a ANONIMA!!
    ANONIMA,Em primeiro lugar vc devia não ter vergonha das merdas q vc fala e assinar o seu comentário!Só posso concluir q vc morre de vergonha das suas próprias merdas pq não tem nem coragem de pôr seu nome!!!Segundo:conheço a Mari e acompanho o blog já há algum tempo e o q ela disse é a mais pura verdade: ela sempre manifesta a opinião dela e relata as vivências dela nos USA mas jamais GENERALIZA!Nunca morei nos USA mas já fui umas sete ou oito vezes pra lá (antes q vc pergunte sou burguesa sim mas não cega a realidade q vejo ao meu redor!) e pobreza americana não tem nada a ver com pobreza brasileira.Vc tem certeza q vc mora MESMO nos Estados Unidos? Ou falou isso só pq acha bonitinho? Sabe qual o maior problema? Nos Estados Unidos ou aqui no Brasil,vc vai continuar sendo pobre e não é pobre de dinheiro mas DE ESPIRITO!!Pobreza essa em q nada dá jeito!Ah,outra coisa:vê se inscreve num curso de interpretação de texto pq nessa matéria vc,com certeza, foi reprovada!!!

    ResponderExcluir
  9. Ri muito dessa parte: "No Brasil, a maiorida da população já nasce fudido..." kkkkkkkkkkkkkkkkkk Pior que é verdade...kkkkkkkk
    Amore, estou te seguindo...sou futura au pair...
    Beijos!=*** Adorei seu blog!

    ResponderExcluir
  10. amei o texto Mari! (saudades de ti)
    E olha, fiquei dois meses na florida, trabalhando como caixa, em uma semana de trabalho comprei uma camera digital bem legal com cartão de memória grande e tudo, além disso, eu trabalhava com pessoas mais velhas, chefes de familia que com o salário mediano de atendente conseguiam se virar mto bem.

    O problema do brasileiro é esperar que a pátria seja sua "grande mãe" com políticas assistencialistas e um sistema de saúde pública e ao trabalhador aparentemente bons, mas que na realidade se mostram ineficazes, só que pensamos que 'é melhor que nada, veja os americanos ou europeus'. A sociedade que vive mais independente do governo, e com isso impostos menores, dá possibilidade das pessoas prosperarem com seu esforço.


    E odeio o jeitinho brasileiro,faz os outros terem preconceito com a gente pois pensam que vamos ser como nossos compatriotas 'jeitosos'.

    ResponderExcluir
  11. Amei o texto, Mari! A realidade brasileira foi descrita perfeitamente! A realidade que vivemos me causa nojo. Sinto-me desconfortável até com a própria cultura brasileira... A maior parte do povo brasileiro é muito acomodada, corrupta e mal educada. Acho que a doença do país não tem mais cura...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada XD. A realidade do Brasil é mesmo triste :(

      Excluir

quinta-feira, 23 de setembro de 2010

A ocasião faz o ladrão


Uma amiga foi no McDonald's com o namorado americano e ele perguntou o que ela queria e fez o pedido para a balconista “Por favor, dois McDouble, duas batatas grandes, chicken nuggets e duas Cocas grandes” imediatamente ela exclamou “Duas Cocas grandes? Não tem necessidade de duas e nem de serem grandes, já que são refis podemos pegar uma só pequena e encher toda vez que acabar”. Ele ficou sem entender qual era o propósito dela e pegou as duas Cocas de qualquer jeito.

O que vocês entendem por essa introdução? Que americano é mané e brasileiro é malandro? Pode até ser, mas a questão é: o povo americano não tem necessidade de ficar de malandragem pra todo lado. Uma Coca grande no McDonald's custa menos de 2 doláres, e você não precisa ficar levantando e enchendo o copo toda hora que acabar, que era o que ia acontecer se eles tivessem pego apenas um refrigerante pequeno. E além de tudo ele foi honesto, se tem duas pessoas que estão com sede, o justo é pagar por duas, não é mesmo? Mas a minha amiga é brasileira - e Aupair - então a primeira coisa que ela pensou foi em economizar, e é por isso que nós sempre somos os malandros da história.

Dizem que dinheiro não traz felicidade, que dinheiro não resolve todos os problemas, que dinheiro é maldito. Analisando por outro lado veja a comparação do Brasil e dos Estados Unidos:

Nos Estados Unidos, a maioria da população já nasce numa família bem estruturada financeiramente. O menino de 3 anos que eu tomo conta, por exemplo, tem mais dinheiro guardado do que eu, que faz 7 anos que não fico desempregada. Até ele crescer, ir pra faculdade e arrumar um emprego os pais dele vão o sustentar. É assim que uma família americana tradicional vive ao longo de sua vida, com muito conforto, viagens, boa assistência médica, boa educação, diversão etc.

No Brasil, a maiorida da população já nasce fudido, muitos sem nem ter onde morar, recebem uma péssima educação em escolas públicas, começam a trabalhar de mão de obra barata para pagar a própria faculdade, isso se o cidadão for corajoso e enfrentar o sufuco que é estudar e trabalhar ao mesmo tempo. É uma parcela pequena que realmente recebem em mãos um diploma de graduação e uma parcela menor ainda que tem esse certificado emitido por uma faculdade de boa qualidade e bem nomeada. Depois da difícil jornada dos estudos, vem a dificuldade de arrumar um emprego: muita concorrência e exigências absurdas. Isso para a grande maioria, que nasce pobre, não vou nem contar com os burguesinhos que tem de tudo e do melhor porque eles são uma parcela ridicularmente pequena por isso, quase inexistentes.

Reparem como muitos brasileiros querem tirar vantagem em cima de tudo, são descrente, invejam o vizinho que comprou um carro zero, invejam o colega de trabalho que comprou um apartamento novinho, passam pra trás amigos por causa de dinheiro, abandonam estudos para sustentar a família e isso sem mencionar o mais triste: entram para a vida do crime. Como na música do Racionais diz: “...tinha um pretinho, seu caderno era um fuzil”.

Não sou do tipo que em qualquer ocasião digo “Ah, é tudo culpa do Sistema”, eu sei sim, que muitos brasileiros não tiveram nem família e hoje são muito bem-sucedidos e concordo que nada é impossível quando você realmente quer algo. Mas que tem que ter muito peito para enfrentar a vida no Brasil, isso ninguém pode negar.

Bom, a minha amiga do caso da Coca não está mais namorando o tal do americano, mas se ela (de novo) ou alguma de vocês passarem por uma situação parecida, lembrem desses argumentos que aqui postei.

12 comentários:

  1. Pior que eh bem isso que você falou msm, naturalmente a gente pensa assim, até por que aqui no Brasil, um refil não custa menos de 2 reais.rsrsrs( pensando na mesma situação)

    beijos e te add la no meu blog.

    ResponderExcluir
  2. hehehehehe
    POis ehh.. verdadee!!!

    Beijoss.. Bom restinhu de semana!

    =]

    ResponderExcluir
  3. Eu acho que vc foi um pouco equivocada. Moro nos eua a um ano e conheço familias que não são tão abonadas assim não, que sofrem igual muitas familias no brasil. Se vc nao sabe, nos eua nao tem escolas de graça e hospital acessivel so pra quem tem insurance (seguro de saúde). Quem não tem, se ferra, pq é MUITO caro. E muita gente não tem. Tem gente perdendo casa pq nao consegue mais pagar as parcelas da mortgage. se vc é au pair em uma familia rica, sorte sua, mas a realidade é outra.

    ResponderExcluir
  4. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  5. Oi Anônima, td bem?
    Primeiro de tudo, obrigada pelo comentário.
    Segundo, vc COM CERTEZA não me conhece, né? Pq se sim, saberia que a política que uso para escrever meus textos é NUNCA GENERALIZAR, não sei vc, mas eu já ouvi a expressão "excessão da regra", então se vc não leu direito, ou leu mas não conseguiu interpretar... eu me refiro à MAIORIA da populacão americana que nasce com boas condicoes de vida. Eu também moro nos Estados Unidos e à um bom tempo, eu sei MTO bem como funcionam as coisas por aqui. Sei MTO bem que saúde não é acessível para todos, MAS é para uma ENORME porcentagem da populacão (pq eles tem dinheiro para pagar sim). Existem escolas de graca SIM. A minha host family está LOOOOOOGE de ser rica, e as minhas criancas todas vao para escolas publicas e mesmo assim eles tem o conforto que a MAIORIA das familias brasileira NAO TEM!!!!

    PS: APOSTO QUE VC EH BURGUESINHA!!!!

    ResponderExcluir
  6. Mari, posso dar uma palavrinha com essa anomina?
    Na boa filhota, se vc nao sabe entender um texto claro e obvio como esse nao leia! Pra comecar, o que vc ta fazendo morando no US se a realidade americana que vc aponta é zuada como a do Brasil? Entao vem pra ca gatinha hahaha, quanto a comparacao social que a Mari fez é logico que ate uma crianca de 10 anos manja que somos pais de TERCEIRO mundo e US de primeiro...cada uma viu. acorda!

    ResponderExcluir
  7. Estou a quase dois anos aqui como aupair e vivenciei duas realidades em familias diferentes. Confirmo a seu texto Mari pois estava em uma familia longe de ser rica e eles tem outra realidade das familias no Brasil.
    Acredito tbm que se a ANONIMA ta aqui so pra FALAR no Brasil "Moro nos EUA" se achando e nao ta feliz com a realidade , vai encarar a vida e Volta pro Brasil.
    Bju Mari e parabens mais uma vez pelos seus textos!!!

    ResponderExcluir
  8. Mari,desculpa mas tb vou ter q falar com a ANONIMA!!
    ANONIMA,Em primeiro lugar vc devia não ter vergonha das merdas q vc fala e assinar o seu comentário!Só posso concluir q vc morre de vergonha das suas próprias merdas pq não tem nem coragem de pôr seu nome!!!Segundo:conheço a Mari e acompanho o blog já há algum tempo e o q ela disse é a mais pura verdade: ela sempre manifesta a opinião dela e relata as vivências dela nos USA mas jamais GENERALIZA!Nunca morei nos USA mas já fui umas sete ou oito vezes pra lá (antes q vc pergunte sou burguesa sim mas não cega a realidade q vejo ao meu redor!) e pobreza americana não tem nada a ver com pobreza brasileira.Vc tem certeza q vc mora MESMO nos Estados Unidos? Ou falou isso só pq acha bonitinho? Sabe qual o maior problema? Nos Estados Unidos ou aqui no Brasil,vc vai continuar sendo pobre e não é pobre de dinheiro mas DE ESPIRITO!!Pobreza essa em q nada dá jeito!Ah,outra coisa:vê se inscreve num curso de interpretação de texto pq nessa matéria vc,com certeza, foi reprovada!!!

    ResponderExcluir
  9. Ri muito dessa parte: "No Brasil, a maiorida da população já nasce fudido..." kkkkkkkkkkkkkkkkkk Pior que é verdade...kkkkkkkk
    Amore, estou te seguindo...sou futura au pair...
    Beijos!=*** Adorei seu blog!

    ResponderExcluir
  10. amei o texto Mari! (saudades de ti)
    E olha, fiquei dois meses na florida, trabalhando como caixa, em uma semana de trabalho comprei uma camera digital bem legal com cartão de memória grande e tudo, além disso, eu trabalhava com pessoas mais velhas, chefes de familia que com o salário mediano de atendente conseguiam se virar mto bem.

    O problema do brasileiro é esperar que a pátria seja sua "grande mãe" com políticas assistencialistas e um sistema de saúde pública e ao trabalhador aparentemente bons, mas que na realidade se mostram ineficazes, só que pensamos que 'é melhor que nada, veja os americanos ou europeus'. A sociedade que vive mais independente do governo, e com isso impostos menores, dá possibilidade das pessoas prosperarem com seu esforço.


    E odeio o jeitinho brasileiro,faz os outros terem preconceito com a gente pois pensam que vamos ser como nossos compatriotas 'jeitosos'.

    ResponderExcluir
  11. Amei o texto, Mari! A realidade brasileira foi descrita perfeitamente! A realidade que vivemos me causa nojo. Sinto-me desconfortável até com a própria cultura brasileira... A maior parte do povo brasileiro é muito acomodada, corrupta e mal educada. Acho que a doença do país não tem mais cura...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada XD. A realidade do Brasil é mesmo triste :(

      Excluir

Receba um e-mail quando o blog for atualizado