sexta-feira, 12 de março de 2010

Qual é o destino de uma Au pair?


Durante a experiência como Au pair, a gente passa por uma fase de começar a comparar a vida aqui e a vida no Brasil, não preciso nem dizer que a vida aqui é bem mais fácil, ganhar dinheiro, comprar, viajar, ter carro, viver com conforto, tudo exige menos esforço. Fora que a segurança pública da de 100 a 0 no Brasil. Questiono eu, quem não gostaria de morar num lugar assim? Quando vc está uma vez aqui, fica pensando numa forma de ficar, de não ter que enfrentar a dificuldade de novo de que é a vida no Brasil. A gente fica inconformada com a tamanha diferença que é o desenvolvimento entre os dois paises.

Pois então, eu passei por essa fase, de revolta com o Brasil, quando estava mais ou menos no meu sétimo ou oitavo mês de Aupair. Fiquei pensando em formas de trocar meu visto, de estudar e trabalhar aqui e tudo mais. Conheço muitas Aupairs que ficaram, mudaram o visto para estudante ou casaram. Comecei a pesquisar como funcionava os esquemas pra ficar, até então só uma coisa eu tinha certeza: ilegal eu não fico.

Conversei com uma porrada de gente, pesquisei na net, analisei as situações, avaliei os prós e contras e cheguei numa conclusão que não era tão fácil quanto eu imaginava. Aqui vai uma idéia de como funciona:

Meu visto é de trabalho e estudo. Que dá direito de ficar até 1 ano com uma família regularizada no programa de Aupair, no final desse 1 ano, se vc quiser pode estender pra mais 6, 9 ou 12 mêses e ficar mais esse tempo legal no país. No fim de tudo, tem que voltar. Quando meu primeiro ano acabou, achei que passou tão rápido que acabei estendendo por mais 1 ano.

Muitas Aupairs trocam o visto para estudante, que funciona o seguinte: primeiro tem que ter um sponsor (que é uma pessoa que vai provar que tem uma grana preta no banco e ser reponsável por vc), ai vc se matricula numa escola que dê o visto, pode ser Faculdade ou Escola de ESL (English as Second Language) e vc pega um visto que permite que vc fique no país até acabar seu curso. Detalhe: com visto de estudante não pode trabalhar, a galera trabalha ilegal.

Muitas começam a fazer facu porque assim já pega um visto de longo prazo, ou seja até o fim da facu, o problema é que pra bancar uma facu é caríssimo. O esquema que elas fazem é arrumar uma família americana que seja seu sponsor, e assim vc trabalha como nanny deles, tem todos benefícios que uma Aupair tem (mora com eles, tem comida, carro, cel etc) e eles pagam um salário muito maior que o de Aupair e vc tem condições de pagar sua facu, ou algumas famílias também oferecem de pagar sua facu e pagar um salário inferior, o que dá na mesma. Essa foi uma opção descartada por mim, primeiro porque eu não aturaria olhar criança e morar na casa dos outros por mais 4 anos. Segundo que eu já sou formada, estou com 26 anos, ou seja, um pouco velha pra começar tudo de novo, eu preciso me inserir no mercado de trabalho, se eu for esperar terminar outra facu pra fazer isso, vou estar com 30 anos, super velha pra começar uma carreira do zero, nem pensar!

Fiquei sabendo que era possível mandar traduzir o diploma e eles aceitavam aqui. Ai pensei, poxa eu poderia mandar traduzir meu diploma, procurar um emprego bacana,
conseguir um visto de trabalho e quem sabe, fazer um mestrado. Rárá! Sonho meu, sonho meu! Não conheço ninguém que fez isso. Estrangeiro aqui só presta pra ser mão de obra barata, então, o máximo que eu conseguiria era um emprego de garçonete, ganhar um dinheirinho com as gorjetas, mas ter que bancar aluguel, comprar carro, comida, e contas. Outro esquema inviável.

O último esquema que sobrou foi: Casar! Esse esquema ai é o mais popular entre as Aupairs, conheço meninas a rodo que casaram. Na minha época de revolta com o Brasil,
pensei, se eu arrumar um namorado que eu goste eu caso sem dó quando estiver acabando meu programa de Aupair, ai viro cidadã arrumo um emprego bacana e pronto.
Mas, isso também não é tão fácil, primeiro que arrumar um cara que eu goste tá difícil (eu nunca casaria por interesse), segundo que eu jamais pensei em casar primeiro e depois ter sucesso profissional, terceiro que para conseguir o Green Card, o cara que vc casou tem que provar que tem grana suficiente para te bancar e uma série de coisas burocráticas.

Conheço um caso de uma Aupair que, começou a namorar um americano, o cara era um universitário duro. A "esperta" engravidou, depois casou, mas o cara não tinha grana pra bancar nem um aluguel pra eles morarem, a host family dela (por sorte) deixou o casal morar no porão e continuar trabalhando pra eles mesmo ela estando grávida, é claro que essas horas ela já tinha sido expulsa do programa de Aupair. Não sei mais o que aconteceu, só sei que tava complicado pra ela pegar o cartão verde dela porque o cara é um pé rapado e, como eu falei, esse negócio de pegar cartão verde é um pouco burocrático.

Depois de analisar bem essa possibilidade, pensei, isso não é pra mim, não adinta forçar a barra. Eu sou extremamente ambiciosa, o meu sonho é ser uma profissinal bem sucedida, e quem sabe até influente. Não me imagino dona de casa e ainda sendo sustentada por marido, ou me enfiar numa furada que nem essa menina que citei. ESQUEMA DESCARTADO!

O que me sobrou agora? Bem, tirei da minha cabeça essa idéia de ficar aqui pra sempre a um tempo já, porque acabei percebendo que era uma fase de revolta mesmo e que cada um tem algo na vida a seguir, se as coisas não estão favorecendo pra eu ficar forever, não é pra ser. Eu sinto de coração que tudo que acontece tem um porque e no fim é só pra sermos felizes mesmo, cada Aupair sabe o que será melhor pra ela, e no meu caso, não é um Green Card que vai me fazer feliz.

7 comentários:

  1. Excelente texto!! fantástico...
    Só eu, tenho 2 amigas que casaram e ficaram por ai...mas como você, pensando nos meus quase 26 quando estiver voltando pra casa, também penso na inserção no mercado e na batalha pela realização dos meus sonhos..que definitivamente, não é ser nanny!!

    Beeijos e boa sorte!
    I´m following u!

    ResponderExcluir
  2. Nossa, sera que eu vou passar por tudo isso tbm ?? rsrs... mais com certeza, tbm naum casaria, dona de casa eh sacanagem, fala serio.. rsrsr !! bjssss

    ResponderExcluir
  3. É, penso como você Mari! Ficar ilegal não rola e casar pelo green card, sem condições, agora trocar pra estudante... é uma possibilidade... penso nisso mesmo ainda estando aqui.

    Bom texto.

    =*

    ResponderExcluir
  4. Mari, assino embaixo. Adorei o que vc escreveu!

    Lara

    ResponderExcluir
  5. Nossa, posso falar algo, me identifiquei 100% com vc mas em tudo, incrivel e eu ja pensei em tudo o que voce pensou e procurei ja, mas aquela coisa.... nada por interesse tambem (e eu estou a qse 2 meses aqui).

    Coloquei tudo na balanca e meoo, se fosse Europa seria td difrente, pq la eh tao bom sabe.... mas nos EUA no way!

    Fiquei espantada, penso mto igual, casamento e carreira!!!! Fiquei feliz que nao estou so com minhas ideias loucas!!!!!

    bjusss

    e continue atualizando, adoro ler, me identifico mto contigo.

    ResponderExcluir
  6. Muitas meninas vão em busca do american dream mesmo...
    Eu prefiro ser mal paga, mas respeitada em meu país do que bem de grana e tratada como eterna emrpegada fora!

    ResponderExcluir
  7. Mari, Adorei oq vc escreveu! Tenho certeza que o teu futuro te reserva muita coisa boa, bem melhor do que arrumar casamento e ser infeliz. Conhece muita gente que casou so por causa de green card, e dai tem filho so pra nao precisar trabalhar. Ha! Pra mim isso nao eh felicidade nao! Tbem sou bem ambiciosa e tive sorte de ter meus caminhos ilumindados por aqui. Com toda certeza casei por amor mesmo, pq so eu sei que sofri tbem!
    Bjos-

    ResponderExcluir

sexta-feira, 12 de março de 2010

Qual é o destino de uma Au pair?


Durante a experiência como Au pair, a gente passa por uma fase de começar a comparar a vida aqui e a vida no Brasil, não preciso nem dizer que a vida aqui é bem mais fácil, ganhar dinheiro, comprar, viajar, ter carro, viver com conforto, tudo exige menos esforço. Fora que a segurança pública da de 100 a 0 no Brasil. Questiono eu, quem não gostaria de morar num lugar assim? Quando vc está uma vez aqui, fica pensando numa forma de ficar, de não ter que enfrentar a dificuldade de novo de que é a vida no Brasil. A gente fica inconformada com a tamanha diferença que é o desenvolvimento entre os dois paises.

Pois então, eu passei por essa fase, de revolta com o Brasil, quando estava mais ou menos no meu sétimo ou oitavo mês de Aupair. Fiquei pensando em formas de trocar meu visto, de estudar e trabalhar aqui e tudo mais. Conheço muitas Aupairs que ficaram, mudaram o visto para estudante ou casaram. Comecei a pesquisar como funcionava os esquemas pra ficar, até então só uma coisa eu tinha certeza: ilegal eu não fico.

Conversei com uma porrada de gente, pesquisei na net, analisei as situações, avaliei os prós e contras e cheguei numa conclusão que não era tão fácil quanto eu imaginava. Aqui vai uma idéia de como funciona:

Meu visto é de trabalho e estudo. Que dá direito de ficar até 1 ano com uma família regularizada no programa de Aupair, no final desse 1 ano, se vc quiser pode estender pra mais 6, 9 ou 12 mêses e ficar mais esse tempo legal no país. No fim de tudo, tem que voltar. Quando meu primeiro ano acabou, achei que passou tão rápido que acabei estendendo por mais 1 ano.

Muitas Aupairs trocam o visto para estudante, que funciona o seguinte: primeiro tem que ter um sponsor (que é uma pessoa que vai provar que tem uma grana preta no banco e ser reponsável por vc), ai vc se matricula numa escola que dê o visto, pode ser Faculdade ou Escola de ESL (English as Second Language) e vc pega um visto que permite que vc fique no país até acabar seu curso. Detalhe: com visto de estudante não pode trabalhar, a galera trabalha ilegal.

Muitas começam a fazer facu porque assim já pega um visto de longo prazo, ou seja até o fim da facu, o problema é que pra bancar uma facu é caríssimo. O esquema que elas fazem é arrumar uma família americana que seja seu sponsor, e assim vc trabalha como nanny deles, tem todos benefícios que uma Aupair tem (mora com eles, tem comida, carro, cel etc) e eles pagam um salário muito maior que o de Aupair e vc tem condições de pagar sua facu, ou algumas famílias também oferecem de pagar sua facu e pagar um salário inferior, o que dá na mesma. Essa foi uma opção descartada por mim, primeiro porque eu não aturaria olhar criança e morar na casa dos outros por mais 4 anos. Segundo que eu já sou formada, estou com 26 anos, ou seja, um pouco velha pra começar tudo de novo, eu preciso me inserir no mercado de trabalho, se eu for esperar terminar outra facu pra fazer isso, vou estar com 30 anos, super velha pra começar uma carreira do zero, nem pensar!

Fiquei sabendo que era possível mandar traduzir o diploma e eles aceitavam aqui. Ai pensei, poxa eu poderia mandar traduzir meu diploma, procurar um emprego bacana,
conseguir um visto de trabalho e quem sabe, fazer um mestrado. Rárá! Sonho meu, sonho meu! Não conheço ninguém que fez isso. Estrangeiro aqui só presta pra ser mão de obra barata, então, o máximo que eu conseguiria era um emprego de garçonete, ganhar um dinheirinho com as gorjetas, mas ter que bancar aluguel, comprar carro, comida, e contas. Outro esquema inviável.

O último esquema que sobrou foi: Casar! Esse esquema ai é o mais popular entre as Aupairs, conheço meninas a rodo que casaram. Na minha época de revolta com o Brasil,
pensei, se eu arrumar um namorado que eu goste eu caso sem dó quando estiver acabando meu programa de Aupair, ai viro cidadã arrumo um emprego bacana e pronto.
Mas, isso também não é tão fácil, primeiro que arrumar um cara que eu goste tá difícil (eu nunca casaria por interesse), segundo que eu jamais pensei em casar primeiro e depois ter sucesso profissional, terceiro que para conseguir o Green Card, o cara que vc casou tem que provar que tem grana suficiente para te bancar e uma série de coisas burocráticas.

Conheço um caso de uma Aupair que, começou a namorar um americano, o cara era um universitário duro. A "esperta" engravidou, depois casou, mas o cara não tinha grana pra bancar nem um aluguel pra eles morarem, a host family dela (por sorte) deixou o casal morar no porão e continuar trabalhando pra eles mesmo ela estando grávida, é claro que essas horas ela já tinha sido expulsa do programa de Aupair. Não sei mais o que aconteceu, só sei que tava complicado pra ela pegar o cartão verde dela porque o cara é um pé rapado e, como eu falei, esse negócio de pegar cartão verde é um pouco burocrático.

Depois de analisar bem essa possibilidade, pensei, isso não é pra mim, não adinta forçar a barra. Eu sou extremamente ambiciosa, o meu sonho é ser uma profissinal bem sucedida, e quem sabe até influente. Não me imagino dona de casa e ainda sendo sustentada por marido, ou me enfiar numa furada que nem essa menina que citei. ESQUEMA DESCARTADO!

O que me sobrou agora? Bem, tirei da minha cabeça essa idéia de ficar aqui pra sempre a um tempo já, porque acabei percebendo que era uma fase de revolta mesmo e que cada um tem algo na vida a seguir, se as coisas não estão favorecendo pra eu ficar forever, não é pra ser. Eu sinto de coração que tudo que acontece tem um porque e no fim é só pra sermos felizes mesmo, cada Aupair sabe o que será melhor pra ela, e no meu caso, não é um Green Card que vai me fazer feliz.

7 comentários:

  1. Excelente texto!! fantástico...
    Só eu, tenho 2 amigas que casaram e ficaram por ai...mas como você, pensando nos meus quase 26 quando estiver voltando pra casa, também penso na inserção no mercado e na batalha pela realização dos meus sonhos..que definitivamente, não é ser nanny!!

    Beeijos e boa sorte!
    I´m following u!

    ResponderExcluir
  2. Nossa, sera que eu vou passar por tudo isso tbm ?? rsrs... mais com certeza, tbm naum casaria, dona de casa eh sacanagem, fala serio.. rsrsr !! bjssss

    ResponderExcluir
  3. É, penso como você Mari! Ficar ilegal não rola e casar pelo green card, sem condições, agora trocar pra estudante... é uma possibilidade... penso nisso mesmo ainda estando aqui.

    Bom texto.

    =*

    ResponderExcluir
  4. Mari, assino embaixo. Adorei o que vc escreveu!

    Lara

    ResponderExcluir
  5. Nossa, posso falar algo, me identifiquei 100% com vc mas em tudo, incrivel e eu ja pensei em tudo o que voce pensou e procurei ja, mas aquela coisa.... nada por interesse tambem (e eu estou a qse 2 meses aqui).

    Coloquei tudo na balanca e meoo, se fosse Europa seria td difrente, pq la eh tao bom sabe.... mas nos EUA no way!

    Fiquei espantada, penso mto igual, casamento e carreira!!!! Fiquei feliz que nao estou so com minhas ideias loucas!!!!!

    bjusss

    e continue atualizando, adoro ler, me identifico mto contigo.

    ResponderExcluir
  6. Muitas meninas vão em busca do american dream mesmo...
    Eu prefiro ser mal paga, mas respeitada em meu país do que bem de grana e tratada como eterna emrpegada fora!

    ResponderExcluir
  7. Mari, Adorei oq vc escreveu! Tenho certeza que o teu futuro te reserva muita coisa boa, bem melhor do que arrumar casamento e ser infeliz. Conhece muita gente que casou so por causa de green card, e dai tem filho so pra nao precisar trabalhar. Ha! Pra mim isso nao eh felicidade nao! Tbem sou bem ambiciosa e tive sorte de ter meus caminhos ilumindados por aqui. Com toda certeza casei por amor mesmo, pq so eu sei que sofri tbem!
    Bjos-

    ResponderExcluir

Receba um e-mail quando o blog for atualizado