segunda-feira, 29 de março de 2010

Os pais que tenho.



Eu com 1 ano de idade curtindo um som haha

Não nasci em berço de ouro e meus pais nunca puderam me dar luxos. Estudei a vida toda em escola pública, e pra ter roupinhas da moda e fazer facu eu tinha dois empregos de telemarketing. Mas nunca tive motivo pra reclamar, sempre tive casa, comida, roupa lavada, passeios, alguns brinquedos, nada de exageros, mas tinha. Desde que comecei a trabalhar nunca precisei ajudar em casa, meus pais sempre diziam "Queremos que vc trabalhe para bancar suas coisas e seus estudos, dentro de casa a gente segura a onda".

Minha mãe é uma pessoa que não teve
muitas oportunidades na vida, quando ela se formou na faculdade eu tinha 12 anos já. A admiro muito, ela é muito esforçada e trabalhadora. Ela não desiste fácil de algo que quer, ela sempre deu um jeito de driblar as dificuldades e correr atrás. Eu me espelho nela sempre que quero alguma coisa, eu puxei ela nesse ponto, eu sempre vou até o fim quando quero algo.

Meu pai já é mais rebelde, mas mesmo sendo cabeção às vezes, eu não trocaria ele por nenhum outro pai nesse mundo, eu também o admiro muito. Nunca conheci um cara tão inteligente quanto ele, pode perguntar pra quem o conhece, ele é patricamente uma enciclopédia ambulante. Sempre me orgulhei quando, na escola, a professora falava sobre algum assunto e eu já sabia porque meu pai já tinha me falado a respeito. Quando eu tinha dúvidas de qualquer coisa, eu recorria a ele, porque eu sabia, que mais do que qualquer outra pessoa, ele saberia me explicar. Além disso o cara é criativo e engraçado a beça. Ficar cinco minutos do lado do meu pai, é risada na certa. E as piadas dele são as melhores, o senso de humor dele crítico e sarcástico é de fazer qualquer um mijar de rir.

Os dois são de tirar o chápeu. Eu posso chegar pros meus pais e ter uma conversa aberta sobre qualquer assunto que nossas opiniões vão bater, claro que entre uma coisa e outra rola uma discordância, pelo fato eu ser de filha deles, de uma geração mais moderna etc e tal, mas no geral tudo bate, porque eles são cabeça aberta, tem senso crítico e opinião pra tudo.

Apesar de algumas dificuldades, que é uma coisa que não tem como escapar na vida, eu agradeço muito pela minha criação. Eu sou feliz pela pessoa que sou, e vejo que tudo em mim é reflexo dos meus pais, desde o meu modo de pensar até o meu gosto musical, desde criança meus ouvidos já foram afinados para escutar boa música. Inclusive, minha irmã me mandou um recado no orkut, que foi o que me inspirou a escrever esse post. Enquanto crianças por ai vivem catarolando Rebolation, eu cantava Titãs:

Recado da minha irmã no meu Orkut:

"a mae para aqui do meu lado agora e fala 'olha o que tata cantava quando era pequena': 'áatu, sai du buáacu, la la, aãnha sai du sapatu, balata sai do igoto, la la úú cidadão cilivizado'... vc com certeza n lembra."

4 comentários:

  1. E eles devem sentir muito orgulho de você!

    Bjs

    ResponderExcluir
  2. Eu tb, agradeço sempre pelos pais que tenho e pela criaçao que tive. Acho que sao poucas as Au pairs que tiveram berço de ouro (e eu acho que as que tiveram, nao aguentam o tranco muito bem nao!) huahuh

    Bjoss!

    ResponderExcluir
  3. Ai q fofa vc pequenininha!!
    Bom gosto musical hj em dia é meio raro!
    bjoss

    ResponderExcluir
  4. olá,

    eu to no processo de ser Au pair em 2010,será que vc poderia me passar um email de contato pra gente se comunicar?
    lhazinha@gmail.com
    beijos e o teu blog é excelente!

    ResponderExcluir

segunda-feira, 29 de março de 2010

Os pais que tenho.



Eu com 1 ano de idade curtindo um som haha

Não nasci em berço de ouro e meus pais nunca puderam me dar luxos. Estudei a vida toda em escola pública, e pra ter roupinhas da moda e fazer facu eu tinha dois empregos de telemarketing. Mas nunca tive motivo pra reclamar, sempre tive casa, comida, roupa lavada, passeios, alguns brinquedos, nada de exageros, mas tinha. Desde que comecei a trabalhar nunca precisei ajudar em casa, meus pais sempre diziam "Queremos que vc trabalhe para bancar suas coisas e seus estudos, dentro de casa a gente segura a onda".

Minha mãe é uma pessoa que não teve
muitas oportunidades na vida, quando ela se formou na faculdade eu tinha 12 anos já. A admiro muito, ela é muito esforçada e trabalhadora. Ela não desiste fácil de algo que quer, ela sempre deu um jeito de driblar as dificuldades e correr atrás. Eu me espelho nela sempre que quero alguma coisa, eu puxei ela nesse ponto, eu sempre vou até o fim quando quero algo.

Meu pai já é mais rebelde, mas mesmo sendo cabeção às vezes, eu não trocaria ele por nenhum outro pai nesse mundo, eu também o admiro muito. Nunca conheci um cara tão inteligente quanto ele, pode perguntar pra quem o conhece, ele é patricamente uma enciclopédia ambulante. Sempre me orgulhei quando, na escola, a professora falava sobre algum assunto e eu já sabia porque meu pai já tinha me falado a respeito. Quando eu tinha dúvidas de qualquer coisa, eu recorria a ele, porque eu sabia, que mais do que qualquer outra pessoa, ele saberia me explicar. Além disso o cara é criativo e engraçado a beça. Ficar cinco minutos do lado do meu pai, é risada na certa. E as piadas dele são as melhores, o senso de humor dele crítico e sarcástico é de fazer qualquer um mijar de rir.

Os dois são de tirar o chápeu. Eu posso chegar pros meus pais e ter uma conversa aberta sobre qualquer assunto que nossas opiniões vão bater, claro que entre uma coisa e outra rola uma discordância, pelo fato eu ser de filha deles, de uma geração mais moderna etc e tal, mas no geral tudo bate, porque eles são cabeça aberta, tem senso crítico e opinião pra tudo.

Apesar de algumas dificuldades, que é uma coisa que não tem como escapar na vida, eu agradeço muito pela minha criação. Eu sou feliz pela pessoa que sou, e vejo que tudo em mim é reflexo dos meus pais, desde o meu modo de pensar até o meu gosto musical, desde criança meus ouvidos já foram afinados para escutar boa música. Inclusive, minha irmã me mandou um recado no orkut, que foi o que me inspirou a escrever esse post. Enquanto crianças por ai vivem catarolando Rebolation, eu cantava Titãs:

Recado da minha irmã no meu Orkut:

"a mae para aqui do meu lado agora e fala 'olha o que tata cantava quando era pequena': 'áatu, sai du buáacu, la la, aãnha sai du sapatu, balata sai do igoto, la la úú cidadão cilivizado'... vc com certeza n lembra."

4 comentários:

  1. E eles devem sentir muito orgulho de você!

    Bjs

    ResponderExcluir
  2. Eu tb, agradeço sempre pelos pais que tenho e pela criaçao que tive. Acho que sao poucas as Au pairs que tiveram berço de ouro (e eu acho que as que tiveram, nao aguentam o tranco muito bem nao!) huahuh

    Bjoss!

    ResponderExcluir
  3. Ai q fofa vc pequenininha!!
    Bom gosto musical hj em dia é meio raro!
    bjoss

    ResponderExcluir
  4. olá,

    eu to no processo de ser Au pair em 2010,será que vc poderia me passar um email de contato pra gente se comunicar?
    lhazinha@gmail.com
    beijos e o teu blog é excelente!

    ResponderExcluir

Receba um e-mail quando o blog for atualizado