quarta-feira, 3 de março de 2010

"Festa estranha, com gente esquisita..."


Fui numa house party final de semana passado que foi muito comédia de tão bizarro. Eu estava de carona, uma amiga se propôs dirigir, deixei meu carro na casa dela e de lá fomos, pensei "eba vou poder beber um pouco". Quando chegamos na festa, não estava muito cheia, e não tinha nenhum tchutchugether. Pensei em beber umas brejas e ficar sussa só curtindo, só que as brejas estavam quentes.

Como esse povo é burro (na America em geral), vários montes de neve na rua e no jardim, o povo ao invés de enfiar as brejas na neve, eles iam colocando as brejas que o povo ia trazendo num cooler. Meo, cooler é pra manter a merda gelada e não para gelar uma breja que tá choca. E lá vai eu e a minha amiga na rua enfiar as brejas na neve.

Nessa bebi 3 long-necks, e deu vontade de fazer xixi. Eu já tinha ido no banheiro assim que cheguei na festa, e reparei que a tampa do vaso tava levantada e tinha uns pentelhos grudados no vaso (Ecaaaa!!!). Depois das brejas, fui no banheiro de novo, percebi que eu não conseguia mais me equilibrar pra fazer xixi em pé, apesar da pouca quantidade, os efeitos do álcool já tinham começado, parei na frente da privada e fiquei pensando "Eu quero fazer xixi, só que eu tenho certeza que tinha uns pentelhos nessa privada" - Anexo: eu não estava mais vendo os pentelhos! - Mas, eu não conseguia me equilibrar, fiquei parada de frente pra privada, falando comigo mesma "Mari, como vc vai fazer xixi ai? Ta cheio de pentelho nessa privada". Ai tirei o casaco, pendurei na porta, baixei, segurei as calças pra frente e pensei "Vou fazer uma acrobacia aqui, se o xixi escorrer pelas pernas, pelo menos eu não sentei nos pentelhos". E assim a difícil missão de fazer xixi bêbada foi completa com sucesso. Ufa!

O lugar era uma townhouse, são casas que o dono aluga os quartos para estudantes, tipo pensão. Geralmente essas casas são precárias, banheiros toscos, cozinhas pequenas, quartos frios etc. As que não são precárias, são bem simples, mas tem um pouco de conforto, pelo menos. Que não era o caso dessa casa que fizeram a house party. Aupairs, que estão acostumadas a morar nos casarões das hosts families, quando se depara com uma casinha humilde não se sente a vontade. Fiquei imaginando, como o pessoal que morava naquela casa aguentava tomar banho naquele banheiro sujo e comer naquela cozinha mais suja ainda.

Depois de um tempinho que estava na festa, descobri que era uma festa de nacionalidades, tinha franceses, brasileiros, chilenos e sei lá mais o que. Tava ai explicado porque não tinha nenhum tchutchugether na festa (hUHASuAhAsuhasha). De repente, chegou um cara gracinha, eu e as minhas amigas concordaram que ele era o único que se salvava ali. Mas o cara não dava confiança pra ninguém. Eu tava de boa, nem me atrevi a jogar nenhum xaveco furado, até porque o cara nem olhou pro meu lado e as meninas estavam pagando um pau e o viram primeiro, não cogitei possibilidade nenhuma, tava sussa mesmo.

Nós fomos em 7 meninas, 6 brasileiras e 1 francesa, não que eu seja nenhuma Miss, aliás tô bem longe disso, mas vamos combinar que a francesinha era esquisitinha. Pois não é que a guria prendeu a atenção do gracinha e ficou conversando com ele mô tempão, não pegou, mas saiu de lá pra ir pra uma balada acompanhada dele e do amigo dele. Até apostamos se ela ia pegar o cara, mas não tive contato mais, então não sei. Eu apostei que ela não pegaria, porque, percebi que o cara era meio estrelinha ou namorava, não vi ele dando trela pra nenhuma menina, só conversando de boa, o amigo dele era bem feinho e não desgrudava da francesa, pra mim quem queria pegar era o amigo feinho e o gracinha estava só dando uma força. Mas, de qualquer forma, ela foi mais esperta que as 6 brasileiras juntas.

A festa tava bizarra, cada figurinha. Tinha um cara magrelinho, baixinho, com cara de velho e com uma cicatriz no pescoço, que quando a minha amiga viu disse: - Nossa meteram a faca no pescoço dele. - Mijei!!! O coitado tava tão bêbado que não conseguia nem fechar o ziper da blusa, minha amiga fez a boa ação do dia e foi ajudá-lo. Uma outra francesa doida, começou a dançar Seu Jorge (uma das brasileiras tinha levado pra tocar) e desceu até o chão. Um francês disse do nada para gente em Português "Oi bonitinha, tapinha na bundinha", ele aprendeu isso quando foi pra Miami, inclusive ele ficou no mesmo Albergue que eu quando fui pra lá, a dona é brasileira. Mas esse ai era gente boa,até o adicionei ele no facebook. Um outro, que eu não sei de onde era, disse "Eu sou mané" pensando que estava falando "I have the swagga" (algo tipo 'Eu tenho o estilo'), confiram o vídeo:



Eu não passei da terceira breja, porque fui lá fora pegar uma na neve e ao parar e olhar brisadamente para a rua, percebi que a rua tava se mexendo, então pensei "Ops, melhor parar por aqui, porque pode ser que não de tempo da brisa passar antes de eu ter que dirigir de novo pra casa". Nisso o gracinha tava lá fora e puxei uma conversinha - vcs vão falar "Lá vai a xavequeira/piriguete"- mas não, como eu disse, estava de boa, troquei meia palavra e vi que ele tava bem na dele mesmo, por isso apostei que a francesa não ia pegar. O cara era americano, putz, o único que se salvava era americano, não tem jeito, esses manés perseguem! (hAuhaUhuahUASHUshasuhs)

Voltei pra dentro da casa e sentei no sofá e chegou um carinha meio perto, ai a minha amiga me vira e fala: - Mari, olha aquele loirinho ali, estilo surfistinha da Califórnia, vc não gosta? - Eu dei um look no cara da cabeça aos pés e falei: - Meo, ele não tem nada de estilo surfistinha, muito menos da Califórnia, aliás, que estilo ele é? - E ela respondeu: - Estilo palhaço! (HAUshUAshUShaUshAUShUASh Mijei)

Só tocava música latida na porra do baguiu (giria vinda da ZL de SP), ai vi o Ipod dando sopa e fui lá fuçar o que eles tinham de bom, achei CSS (ADOROOO), coloquei pra tocar, ai chegou um francês todo sorridente me falar "HI", quase caí pra trás, o cara tinha um túmulo na boca, porque fedia mais que esgoto aberto. Eu não queria ser seca, mas tive que ser um pouco porque não tava nem um pouco a fim de conversar com alguém com bafo de onça e ainda mais bêbado.

Eu e as meninas, sem a francesa, voltamos para casa mas a festa ainda não tinha acabado, ficamos meio de saco cheio porque tinha acabado as coisas engraçadas e resolvemos ralá peito (como diz os personagens do Cidade de Deus), mas valeu a beça, fazia tempo que não dava tanta risada. No caminho de volta, eu já fui falando pra elas "Gente, aguardem o próximo post do blog sobre essa festa bizarra".(hAUshaushUASHuahs)

4 comentários:

  1. Oiee Mari...
    Ai gente... só com vc mesmo!
    Eu choro de rir dessas doideiras.. não guentooo.. ilário!

    Obrigada pela força lá no blog, amei ler o que você escreveu: sábio!
    Obrigada mesmo..
    Um bjo.. cuide-se!

    ResponderExcluir
  2. Festa estranha, com gente MUITO esquisita!
    Sério, ri demais aqui lendo sobre cada criatura!!!

    Suas histórias são sempre ótimas ;)

    Beijos

    ResponderExcluir
  3. ÁGUA COM GÁS kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk Muito comédia esse vídeo!

    E sim, americanos nao sabem como fazer uma festa :S

    Bjoss!

    ResponderExcluir

quarta-feira, 3 de março de 2010

"Festa estranha, com gente esquisita..."


Fui numa house party final de semana passado que foi muito comédia de tão bizarro. Eu estava de carona, uma amiga se propôs dirigir, deixei meu carro na casa dela e de lá fomos, pensei "eba vou poder beber um pouco". Quando chegamos na festa, não estava muito cheia, e não tinha nenhum tchutchugether. Pensei em beber umas brejas e ficar sussa só curtindo, só que as brejas estavam quentes.

Como esse povo é burro (na America em geral), vários montes de neve na rua e no jardim, o povo ao invés de enfiar as brejas na neve, eles iam colocando as brejas que o povo ia trazendo num cooler. Meo, cooler é pra manter a merda gelada e não para gelar uma breja que tá choca. E lá vai eu e a minha amiga na rua enfiar as brejas na neve.

Nessa bebi 3 long-necks, e deu vontade de fazer xixi. Eu já tinha ido no banheiro assim que cheguei na festa, e reparei que a tampa do vaso tava levantada e tinha uns pentelhos grudados no vaso (Ecaaaa!!!). Depois das brejas, fui no banheiro de novo, percebi que eu não conseguia mais me equilibrar pra fazer xixi em pé, apesar da pouca quantidade, os efeitos do álcool já tinham começado, parei na frente da privada e fiquei pensando "Eu quero fazer xixi, só que eu tenho certeza que tinha uns pentelhos nessa privada" - Anexo: eu não estava mais vendo os pentelhos! - Mas, eu não conseguia me equilibrar, fiquei parada de frente pra privada, falando comigo mesma "Mari, como vc vai fazer xixi ai? Ta cheio de pentelho nessa privada". Ai tirei o casaco, pendurei na porta, baixei, segurei as calças pra frente e pensei "Vou fazer uma acrobacia aqui, se o xixi escorrer pelas pernas, pelo menos eu não sentei nos pentelhos". E assim a difícil missão de fazer xixi bêbada foi completa com sucesso. Ufa!

O lugar era uma townhouse, são casas que o dono aluga os quartos para estudantes, tipo pensão. Geralmente essas casas são precárias, banheiros toscos, cozinhas pequenas, quartos frios etc. As que não são precárias, são bem simples, mas tem um pouco de conforto, pelo menos. Que não era o caso dessa casa que fizeram a house party. Aupairs, que estão acostumadas a morar nos casarões das hosts families, quando se depara com uma casinha humilde não se sente a vontade. Fiquei imaginando, como o pessoal que morava naquela casa aguentava tomar banho naquele banheiro sujo e comer naquela cozinha mais suja ainda.

Depois de um tempinho que estava na festa, descobri que era uma festa de nacionalidades, tinha franceses, brasileiros, chilenos e sei lá mais o que. Tava ai explicado porque não tinha nenhum tchutchugether na festa (hUHASuAhAsuhasha). De repente, chegou um cara gracinha, eu e as minhas amigas concordaram que ele era o único que se salvava ali. Mas o cara não dava confiança pra ninguém. Eu tava de boa, nem me atrevi a jogar nenhum xaveco furado, até porque o cara nem olhou pro meu lado e as meninas estavam pagando um pau e o viram primeiro, não cogitei possibilidade nenhuma, tava sussa mesmo.

Nós fomos em 7 meninas, 6 brasileiras e 1 francesa, não que eu seja nenhuma Miss, aliás tô bem longe disso, mas vamos combinar que a francesinha era esquisitinha. Pois não é que a guria prendeu a atenção do gracinha e ficou conversando com ele mô tempão, não pegou, mas saiu de lá pra ir pra uma balada acompanhada dele e do amigo dele. Até apostamos se ela ia pegar o cara, mas não tive contato mais, então não sei. Eu apostei que ela não pegaria, porque, percebi que o cara era meio estrelinha ou namorava, não vi ele dando trela pra nenhuma menina, só conversando de boa, o amigo dele era bem feinho e não desgrudava da francesa, pra mim quem queria pegar era o amigo feinho e o gracinha estava só dando uma força. Mas, de qualquer forma, ela foi mais esperta que as 6 brasileiras juntas.

A festa tava bizarra, cada figurinha. Tinha um cara magrelinho, baixinho, com cara de velho e com uma cicatriz no pescoço, que quando a minha amiga viu disse: - Nossa meteram a faca no pescoço dele. - Mijei!!! O coitado tava tão bêbado que não conseguia nem fechar o ziper da blusa, minha amiga fez a boa ação do dia e foi ajudá-lo. Uma outra francesa doida, começou a dançar Seu Jorge (uma das brasileiras tinha levado pra tocar) e desceu até o chão. Um francês disse do nada para gente em Português "Oi bonitinha, tapinha na bundinha", ele aprendeu isso quando foi pra Miami, inclusive ele ficou no mesmo Albergue que eu quando fui pra lá, a dona é brasileira. Mas esse ai era gente boa,até o adicionei ele no facebook. Um outro, que eu não sei de onde era, disse "Eu sou mané" pensando que estava falando "I have the swagga" (algo tipo 'Eu tenho o estilo'), confiram o vídeo:



Eu não passei da terceira breja, porque fui lá fora pegar uma na neve e ao parar e olhar brisadamente para a rua, percebi que a rua tava se mexendo, então pensei "Ops, melhor parar por aqui, porque pode ser que não de tempo da brisa passar antes de eu ter que dirigir de novo pra casa". Nisso o gracinha tava lá fora e puxei uma conversinha - vcs vão falar "Lá vai a xavequeira/piriguete"- mas não, como eu disse, estava de boa, troquei meia palavra e vi que ele tava bem na dele mesmo, por isso apostei que a francesa não ia pegar. O cara era americano, putz, o único que se salvava era americano, não tem jeito, esses manés perseguem! (hAuhaUhuahUASHUshasuhs)

Voltei pra dentro da casa e sentei no sofá e chegou um carinha meio perto, ai a minha amiga me vira e fala: - Mari, olha aquele loirinho ali, estilo surfistinha da Califórnia, vc não gosta? - Eu dei um look no cara da cabeça aos pés e falei: - Meo, ele não tem nada de estilo surfistinha, muito menos da Califórnia, aliás, que estilo ele é? - E ela respondeu: - Estilo palhaço! (HAUshUAshUShaUshAUShUASh Mijei)

Só tocava música latida na porra do baguiu (giria vinda da ZL de SP), ai vi o Ipod dando sopa e fui lá fuçar o que eles tinham de bom, achei CSS (ADOROOO), coloquei pra tocar, ai chegou um francês todo sorridente me falar "HI", quase caí pra trás, o cara tinha um túmulo na boca, porque fedia mais que esgoto aberto. Eu não queria ser seca, mas tive que ser um pouco porque não tava nem um pouco a fim de conversar com alguém com bafo de onça e ainda mais bêbado.

Eu e as meninas, sem a francesa, voltamos para casa mas a festa ainda não tinha acabado, ficamos meio de saco cheio porque tinha acabado as coisas engraçadas e resolvemos ralá peito (como diz os personagens do Cidade de Deus), mas valeu a beça, fazia tempo que não dava tanta risada. No caminho de volta, eu já fui falando pra elas "Gente, aguardem o próximo post do blog sobre essa festa bizarra".(hAUshaushUASHuahs)

4 comentários:

  1. Oiee Mari...
    Ai gente... só com vc mesmo!
    Eu choro de rir dessas doideiras.. não guentooo.. ilário!

    Obrigada pela força lá no blog, amei ler o que você escreveu: sábio!
    Obrigada mesmo..
    Um bjo.. cuide-se!

    ResponderExcluir
  2. Festa estranha, com gente MUITO esquisita!
    Sério, ri demais aqui lendo sobre cada criatura!!!

    Suas histórias são sempre ótimas ;)

    Beijos

    ResponderExcluir
  3. ÁGUA COM GÁS kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk Muito comédia esse vídeo!

    E sim, americanos nao sabem como fazer uma festa :S

    Bjoss!

    ResponderExcluir

Receba um e-mail quando o blog for atualizado