sexta-feira, 12 de fevereiro de 2010

Ju e Eu em NYC


Vi muitas coisas interessantes em NY, então este post está bem longo e informativo. Ai vai...

Chegou o último fim de semana da minha irmã aqui nos Estados Unidos. Planejamos ir pra NY. Eu já estive lá outras vezes, mas não tinha visto muita coisa. Então foi uma oportunidade perfeita pra eu conhecer melhor a cidade. Por pouco não fomos, porque compramos as passagens para sair de DC na sexta (dia 5) às 11 da manhã, só que às 10 da noite de quinta, recebi um e-mail da compania de ônibus cancelando a viagem, porque estava vindo uma nevasca em direção a área de DC na sexta de manhã. Entramos em desespero, primeiro porque o avião da minha irmã sairia de NY de volta pro Brasil na segunda-feira à noite, de qualquer jeito ela tinha que ir para lá, e segundo porque a gente tinha planejado uma super viagem e ela não estava a fim de ir embora sem conhecer NY. Comecei a caçar, na net, passagens de ônibus para o mesmo momento, achei um ônibus que ia sair às 2 da manhã, na loucura, pegamos um taxi até o local que o ônibus sairia (em DC). Chegamos 20 minutos antes da partida do ônibus, e por sorte, conseguimos comprar passagem na hora e embarcar.

Chegamos no albergue 7 horas da manhã, fizemos check in, pegamos a chave e fomos procurar nosso quarto. Ao chegar no andar não achavamos o quarto de jeito nenhum. Rodamos o andar todo e nada. O número do quarto era 1317, juro que tinha até o 1316 e pulava pro 1318. Quando desistimos e resolvemos descer na recepção pra perguntar, apareceu uma menina e nos mostrou onde era. Ao entrar no quarto, para nossa surpresa, era um quarto com duas camas de casal, televisão com tv a cabo, banheiro, geladeira e microondas. Isso que eu havia reservado só duas camas num quarto coletivo com mais 6 pessoas, porque era mais barato. Começamos a viagem na cagada e com sorte.

O albergue não era lá aquelas maravilhas, não tinha lobby, a cozinha era super pequena, não dava para interagir com a galera que tava hospedada. Mas para quem pagou a metade do preço, tava ótimo. Era muito bem localizado: perto do Central Park, do Metropolitan e do metrô. Ficamos só meio desconfiadas, mas nem ligamos, depois de encontrar um viado brasileiro no corredor que disse pra gente que lá tinha percevejo porque eles hospedavam mendigo. Desculpem a grosseria, mas percevejo deve ter no &%4#@ dele de tanto sair com bicha porca, e outra, mendigo agora fica na rua mendigando o dia todo e a noite paga pra dormir?

No mesmo dia começamos nossa jornada pelo Metropolitan. Atravessamos um pedaço do Central Park e fomos para o lado east onde o museu fica localizado. Foi uma caminhada de 10 minutos. Antes de entrar paramos na frente para comer o famoso hot dog americano que só vem o pão, a salsicha, ketchup e mostarda.




Pagamos 20 dólares para entrar, mas vou dizer uma coisa, se você entrar sem pagar ninguém vai perceber, então para os caras de pau que quiserem arriscar, go for it!

Eu não ligo muito para essas coisas de artes, fui mesmo porque a minha irmã gosta. Mesmo assim, eu não me arrependi, o Museu é lindo e tem muita coisa interessante, eu gostei mais da parte de arte moderna e da egípcia.

No fim da tarde voltamos para o albergue, compramos umas tranqueiras para comer, e claro, uma garrafinha de Tequila, para esquentar o frio de mais ou menos - 10°C. Nos trocamos tomamos uns shots - detalhe que as burras esqueceram de comprar limão - daí dá-lhe shots de tequila só com sal. Foi punk, mas ajudou a esquentar.

Saimos de casa umas 10 e ficamos dando uns roles pela Broadway para dar um tempinho e depois fomos num pub na mesma rua do albergue. Bebemos uma cerveja e veio um colombiano conversar com a gente, Aff! O cara me lança que já tinha fumado maconha no Empire Estate, olha as conversa, agradecemos a cerveja que ele tinha pagado pra nós (por isso deixei ele conversar com a gente, of course my horse) e saimos fora.

No sábado pela manhã, paramos num café para comer o típico ovo frito com toast e batatas (gorduroso, mas gostoso) e fomos para o MOMA (Museu de Arte Moderna), e começou nossa jornada cultural novamente. Estava rolando uma exposição do Tim Burton - anexo: que foi Fodassa!. Na porta havia um aviso "Ingressos esgotados para hoje". Ficamos fula, mas entramos na fila pra comprar então para o dia seguinte. Assim que paramos na fila uma japa vem na nossa direção e fala: - Eu tenho aqui esses ingressos para às 2 e meia, são 2:20 e eu não poderei ir, pega pra vcs. Eu e a Ju simplismente economizamos 20 doláres para entrar. Saimos correndo para entrar no horário. Depois de entrar, até paramos para dar risada de mais uma cagada de sorte na nossa viagem.



Ao sairmos do MOMA, já tinha escurecido, fomos direto para o Empire State e aproveitando passamos pela Times Square. E lá se foram mais 20 doláres na entrada do prédio, menos mal porque que tinhamos economizado com a entrada do MOMA. Subimos 86 andares para ver NYC de cima, lindo de morrer. Pena que estava um vento muito forte e eu não tive muita paciência de ficar lá. Mas deu pra tirar umas fotinhos e até fazer um videozinho.

Bom, chegamos em casa depois de um longo dia de caminhada. Fizemos um lanhe de meatballs (almondêgas) com aquele queijo philadelphia e ketchup, uma combinação não muito saborosa, mas era o que tinha, depois de comidas (no bom sentido) e trocadas, corremos para a Pacha. Chegamos na balada, quase não entramos de graça, mas graças a insistência da Ju (que ainda ta com o espirito "sou brasileira e não desisto nunca"), a mulher deu um vip pra gente. Nós tinhamos nos cadastrado no site para ganhar duas entradas vip, mas chegamos lá a promoter (tinha que ser mulher) disse que teriamos que pagar, eu não tenho paciência com isso e logo queria ir embora, mas a Ju foi lá questionar e entramos. Adoramos o lugar, apesar de muita gente estranha, tinha vários gatinhos, o lugar era grande e o som era bom.

O que eu percebi é que os caras em NY são mais espertos, nenhum chega oferecendo bebida, claro que tem um e outro, mas ao contrário das baladas em DC, que tem muito mais caras que pagam shots só pra vc conversar com eles. Não bebemos nada para não gastar (minhas viagens são sempre com dinheiro contato hahaha) meu pé e o da Ju começaram a doer por causa do salto (eu até aguento salto uma noite inteira, mas com alguns shots na cabeça), e acabamos indo embora mais ou menos 3 da manhã.

No dia seguinte (domingo), fomos na Estátua da Liberdade, ela estava fechada para visitação, então pegamos um ferry que sai de Manhattan e vai pra a Staten Island, que é de graça e você tem a vista linda da Estátua e de Manhattan. No término do passeio, fomos andando até o começo da Broadway onde tem o touro que significa a força que puxa o Mercado Financeiro pra cima, vi no programa Lugar Incomum, que se pegar nas bolas do touro dá sorte. Segue eu e a Ju com a mão nas bolas do coitado:



Fomos seguindo, passamos na Wall Street, e paramos num Starbucks para tomar um chocolate quente, para esquentar um pouquinho. Depois de muitas fotos do coração financeiro de NY, pegamos o metro e fomos para a Times Square encontrar um amigo meu.

Ele tinha nos convidado para uma house party, estavamos muito cansadas mas fomos. Conheci uma figura que mijei de rir. Para você ter uma idéia, bastaram um pouco mais que duas horas ao lado da pessoa para eu descobrir que ele quase engravidou uma ex-namorada, teve um filho com outra mas a criança morreu, teve uma noiva na França, foi deportado de pelo menos 2 países, foi preso aos 14 anos por causa do pai, os pais fumam maconha até hoje e se separam e voltam praticamente todo mês, já frequentou rehab, bateu o carro ao dirigir bebado a 140 kilometros por hora, ficou em coma e levou uma cassetada de pontos pelo corpo. E hoje disse que parou com essas coisas e só fuma maconha de vez em quando. Pense na pessoa mais problemática que você conhece, agora multiplique por 100. Foi bem divertido, a galerinha era style, até colocaram um Damian Marley pra tocar.

Enfim, chegou nosso último dia de aventuras em NY. Como o Central Parque era perto, fomos andar por ele, tiramos algumas fotos e voltamos para fazer check out no albergue, eu fui embora de lá com destino à Chinatown para pegar o ônibus de volta para DC e a Ju ficou esperando a shettle que iria busca-lá e leva-lá para o aeroporto. Antes, eu só gostava de NY, agora eu AMO. Quem tiver a oportunidade, vale muito a pena conferir.

Cheguei em casa com um apertinho no coração, porque não tinha mais a minhã irmã lá fazendo a bagunça dela, e novamente estou aqui longe da minha familia num pais estrangeiro. Mas é isso ai, até a próxima pessoal.

5 comentários:

  1. gostei muuito do post pra quem quer conhecer NYC esta bem legal!

    ah esse final me deixou com lagrimas nos olhos =( quero estar ai fazendo minhas pilhas de ropa todo dia =(((

    ResponderExcluir
  2. aaah não mineis,
    vc pode ate vir de novo, mas as baguncas vc deixa ai haushasuahsuashaushasu

    ResponderExcluir
  3. Oiee..
    Adorei o post informativo pra lá de grandee.. rsrss
    E olha que eu li tudoo.. comecei e não consegui fechar a página sem antes terminar de ler tudinhooo e ameii saber sobre o seu tour em NY.. foi per! e vc são muito sortudass.. pela madrugada.. rsrs
    Um beijo..
    Happy Valentine's Day!

    ResponderExcluir
  4. Nossa Mari, que altos cagaco na viagem hein. Comecando pelo onibus que voces encontraram do nada. Pq se fosse depender de esperar a neve, voces iam ta ferrada. Depois do Hostel ne! Uau, ficaram sozinhasss no quarto!! Ate tickets ganharam...muito legal! Essas coisas boas sempre acontecem nas despedidas, ja percebeu? Tava fechada a Statua? ah naum! Vc sabe pq? To planejando ir pra la no comeco de Marco e queria ir na Estatua pq naum fui la da vez q fui. E a pista de Ice Skating da Rockfeller ta aberta ainda?

    ResponderExcluir
  5. Adorei seu post!!! Adoro detalhes, rs...e a historia do carinha todo ferrado foi a melhor, hahaha. cada figura ne?
    E eu to quase pra ir embora ja. Meu visto de turista termina em Abril, e tenho q voltar pra Faculdade ate Julho senaum perco a matricula, por isso naum vai ter jeito mesmo.
    Espero q tenha tido um bom dia...e la vamos nos se preparar pra mais neve amanha ne? haha...beijossss...e obrigada por me add! Espero vc no meu blog mais vezes.
    Lu

    ResponderExcluir

sexta-feira, 12 de fevereiro de 2010

Ju e Eu em NYC


Vi muitas coisas interessantes em NY, então este post está bem longo e informativo. Ai vai...

Chegou o último fim de semana da minha irmã aqui nos Estados Unidos. Planejamos ir pra NY. Eu já estive lá outras vezes, mas não tinha visto muita coisa. Então foi uma oportunidade perfeita pra eu conhecer melhor a cidade. Por pouco não fomos, porque compramos as passagens para sair de DC na sexta (dia 5) às 11 da manhã, só que às 10 da noite de quinta, recebi um e-mail da compania de ônibus cancelando a viagem, porque estava vindo uma nevasca em direção a área de DC na sexta de manhã. Entramos em desespero, primeiro porque o avião da minha irmã sairia de NY de volta pro Brasil na segunda-feira à noite, de qualquer jeito ela tinha que ir para lá, e segundo porque a gente tinha planejado uma super viagem e ela não estava a fim de ir embora sem conhecer NY. Comecei a caçar, na net, passagens de ônibus para o mesmo momento, achei um ônibus que ia sair às 2 da manhã, na loucura, pegamos um taxi até o local que o ônibus sairia (em DC). Chegamos 20 minutos antes da partida do ônibus, e por sorte, conseguimos comprar passagem na hora e embarcar.

Chegamos no albergue 7 horas da manhã, fizemos check in, pegamos a chave e fomos procurar nosso quarto. Ao chegar no andar não achavamos o quarto de jeito nenhum. Rodamos o andar todo e nada. O número do quarto era 1317, juro que tinha até o 1316 e pulava pro 1318. Quando desistimos e resolvemos descer na recepção pra perguntar, apareceu uma menina e nos mostrou onde era. Ao entrar no quarto, para nossa surpresa, era um quarto com duas camas de casal, televisão com tv a cabo, banheiro, geladeira e microondas. Isso que eu havia reservado só duas camas num quarto coletivo com mais 6 pessoas, porque era mais barato. Começamos a viagem na cagada e com sorte.

O albergue não era lá aquelas maravilhas, não tinha lobby, a cozinha era super pequena, não dava para interagir com a galera que tava hospedada. Mas para quem pagou a metade do preço, tava ótimo. Era muito bem localizado: perto do Central Park, do Metropolitan e do metrô. Ficamos só meio desconfiadas, mas nem ligamos, depois de encontrar um viado brasileiro no corredor que disse pra gente que lá tinha percevejo porque eles hospedavam mendigo. Desculpem a grosseria, mas percevejo deve ter no &%4#@ dele de tanto sair com bicha porca, e outra, mendigo agora fica na rua mendigando o dia todo e a noite paga pra dormir?

No mesmo dia começamos nossa jornada pelo Metropolitan. Atravessamos um pedaço do Central Park e fomos para o lado east onde o museu fica localizado. Foi uma caminhada de 10 minutos. Antes de entrar paramos na frente para comer o famoso hot dog americano que só vem o pão, a salsicha, ketchup e mostarda.




Pagamos 20 dólares para entrar, mas vou dizer uma coisa, se você entrar sem pagar ninguém vai perceber, então para os caras de pau que quiserem arriscar, go for it!

Eu não ligo muito para essas coisas de artes, fui mesmo porque a minha irmã gosta. Mesmo assim, eu não me arrependi, o Museu é lindo e tem muita coisa interessante, eu gostei mais da parte de arte moderna e da egípcia.

No fim da tarde voltamos para o albergue, compramos umas tranqueiras para comer, e claro, uma garrafinha de Tequila, para esquentar o frio de mais ou menos - 10°C. Nos trocamos tomamos uns shots - detalhe que as burras esqueceram de comprar limão - daí dá-lhe shots de tequila só com sal. Foi punk, mas ajudou a esquentar.

Saimos de casa umas 10 e ficamos dando uns roles pela Broadway para dar um tempinho e depois fomos num pub na mesma rua do albergue. Bebemos uma cerveja e veio um colombiano conversar com a gente, Aff! O cara me lança que já tinha fumado maconha no Empire Estate, olha as conversa, agradecemos a cerveja que ele tinha pagado pra nós (por isso deixei ele conversar com a gente, of course my horse) e saimos fora.

No sábado pela manhã, paramos num café para comer o típico ovo frito com toast e batatas (gorduroso, mas gostoso) e fomos para o MOMA (Museu de Arte Moderna), e começou nossa jornada cultural novamente. Estava rolando uma exposição do Tim Burton - anexo: que foi Fodassa!. Na porta havia um aviso "Ingressos esgotados para hoje". Ficamos fula, mas entramos na fila pra comprar então para o dia seguinte. Assim que paramos na fila uma japa vem na nossa direção e fala: - Eu tenho aqui esses ingressos para às 2 e meia, são 2:20 e eu não poderei ir, pega pra vcs. Eu e a Ju simplismente economizamos 20 doláres para entrar. Saimos correndo para entrar no horário. Depois de entrar, até paramos para dar risada de mais uma cagada de sorte na nossa viagem.



Ao sairmos do MOMA, já tinha escurecido, fomos direto para o Empire State e aproveitando passamos pela Times Square. E lá se foram mais 20 doláres na entrada do prédio, menos mal porque que tinhamos economizado com a entrada do MOMA. Subimos 86 andares para ver NYC de cima, lindo de morrer. Pena que estava um vento muito forte e eu não tive muita paciência de ficar lá. Mas deu pra tirar umas fotinhos e até fazer um videozinho.

Bom, chegamos em casa depois de um longo dia de caminhada. Fizemos um lanhe de meatballs (almondêgas) com aquele queijo philadelphia e ketchup, uma combinação não muito saborosa, mas era o que tinha, depois de comidas (no bom sentido) e trocadas, corremos para a Pacha. Chegamos na balada, quase não entramos de graça, mas graças a insistência da Ju (que ainda ta com o espirito "sou brasileira e não desisto nunca"), a mulher deu um vip pra gente. Nós tinhamos nos cadastrado no site para ganhar duas entradas vip, mas chegamos lá a promoter (tinha que ser mulher) disse que teriamos que pagar, eu não tenho paciência com isso e logo queria ir embora, mas a Ju foi lá questionar e entramos. Adoramos o lugar, apesar de muita gente estranha, tinha vários gatinhos, o lugar era grande e o som era bom.

O que eu percebi é que os caras em NY são mais espertos, nenhum chega oferecendo bebida, claro que tem um e outro, mas ao contrário das baladas em DC, que tem muito mais caras que pagam shots só pra vc conversar com eles. Não bebemos nada para não gastar (minhas viagens são sempre com dinheiro contato hahaha) meu pé e o da Ju começaram a doer por causa do salto (eu até aguento salto uma noite inteira, mas com alguns shots na cabeça), e acabamos indo embora mais ou menos 3 da manhã.

No dia seguinte (domingo), fomos na Estátua da Liberdade, ela estava fechada para visitação, então pegamos um ferry que sai de Manhattan e vai pra a Staten Island, que é de graça e você tem a vista linda da Estátua e de Manhattan. No término do passeio, fomos andando até o começo da Broadway onde tem o touro que significa a força que puxa o Mercado Financeiro pra cima, vi no programa Lugar Incomum, que se pegar nas bolas do touro dá sorte. Segue eu e a Ju com a mão nas bolas do coitado:



Fomos seguindo, passamos na Wall Street, e paramos num Starbucks para tomar um chocolate quente, para esquentar um pouquinho. Depois de muitas fotos do coração financeiro de NY, pegamos o metro e fomos para a Times Square encontrar um amigo meu.

Ele tinha nos convidado para uma house party, estavamos muito cansadas mas fomos. Conheci uma figura que mijei de rir. Para você ter uma idéia, bastaram um pouco mais que duas horas ao lado da pessoa para eu descobrir que ele quase engravidou uma ex-namorada, teve um filho com outra mas a criança morreu, teve uma noiva na França, foi deportado de pelo menos 2 países, foi preso aos 14 anos por causa do pai, os pais fumam maconha até hoje e se separam e voltam praticamente todo mês, já frequentou rehab, bateu o carro ao dirigir bebado a 140 kilometros por hora, ficou em coma e levou uma cassetada de pontos pelo corpo. E hoje disse que parou com essas coisas e só fuma maconha de vez em quando. Pense na pessoa mais problemática que você conhece, agora multiplique por 100. Foi bem divertido, a galerinha era style, até colocaram um Damian Marley pra tocar.

Enfim, chegou nosso último dia de aventuras em NY. Como o Central Parque era perto, fomos andar por ele, tiramos algumas fotos e voltamos para fazer check out no albergue, eu fui embora de lá com destino à Chinatown para pegar o ônibus de volta para DC e a Ju ficou esperando a shettle que iria busca-lá e leva-lá para o aeroporto. Antes, eu só gostava de NY, agora eu AMO. Quem tiver a oportunidade, vale muito a pena conferir.

Cheguei em casa com um apertinho no coração, porque não tinha mais a minhã irmã lá fazendo a bagunça dela, e novamente estou aqui longe da minha familia num pais estrangeiro. Mas é isso ai, até a próxima pessoal.

5 comentários:

  1. gostei muuito do post pra quem quer conhecer NYC esta bem legal!

    ah esse final me deixou com lagrimas nos olhos =( quero estar ai fazendo minhas pilhas de ropa todo dia =(((

    ResponderExcluir
  2. aaah não mineis,
    vc pode ate vir de novo, mas as baguncas vc deixa ai haushasuahsuashaushasu

    ResponderExcluir
  3. Oiee..
    Adorei o post informativo pra lá de grandee.. rsrss
    E olha que eu li tudoo.. comecei e não consegui fechar a página sem antes terminar de ler tudinhooo e ameii saber sobre o seu tour em NY.. foi per! e vc são muito sortudass.. pela madrugada.. rsrs
    Um beijo..
    Happy Valentine's Day!

    ResponderExcluir
  4. Nossa Mari, que altos cagaco na viagem hein. Comecando pelo onibus que voces encontraram do nada. Pq se fosse depender de esperar a neve, voces iam ta ferrada. Depois do Hostel ne! Uau, ficaram sozinhasss no quarto!! Ate tickets ganharam...muito legal! Essas coisas boas sempre acontecem nas despedidas, ja percebeu? Tava fechada a Statua? ah naum! Vc sabe pq? To planejando ir pra la no comeco de Marco e queria ir na Estatua pq naum fui la da vez q fui. E a pista de Ice Skating da Rockfeller ta aberta ainda?

    ResponderExcluir
  5. Adorei seu post!!! Adoro detalhes, rs...e a historia do carinha todo ferrado foi a melhor, hahaha. cada figura ne?
    E eu to quase pra ir embora ja. Meu visto de turista termina em Abril, e tenho q voltar pra Faculdade ate Julho senaum perco a matricula, por isso naum vai ter jeito mesmo.
    Espero q tenha tido um bom dia...e la vamos nos se preparar pra mais neve amanha ne? haha...beijossss...e obrigada por me add! Espero vc no meu blog mais vezes.
    Lu

    ResponderExcluir

Receba um e-mail quando o blog for atualizado