quinta-feira, 5 de novembro de 2009

Em busca do Halloween perfeito!


Pela primeira vez, estaríamos nos Estados Unidos para o Halloween, uma das festas mais divertidas no pais. Todos fantasiados saindo pelas ruas e dizendo "Trick or Treat", igualzinho nos filmes. Com toda essa expectativa eu umas amigas (O Quarteto Fantástico) resolvemos fazer algo diferente para ser inesquecível, então decidimos: Vamos pra New York!

E la vamos nós, pegamos o busão dos Chineses (um onibus velho de chineses que fazem viagens a preço de banana) no sábado, dia 31, pela manhã em DC. Dormimos a viagem toda, por volta de 4 horas depois chegamos em Chinatown em NY.

O primo de uma das integrantes do Quarteto foi nos buscar, ele mora em NY há muito tempo, chegamos na casa dele, me senti no Brasil, uma brasileirada só e ainda preparando uma feijoada. Depois do "momento Brasil" tiramos um cochilo, e depois começamos os preparativos para ir para o Central Park, onde seria a tão esperada festa de halloween do ano em NY.


O lugar estava lotado, uma fila imensa pra entrar, mas já tínhamos garantido nossos ingressos, que diga-se de passagem custaram $60 doletas cada. Fiquei muito empolgada, realmente o Halloween é muito festejado, as pessoas capricham nas fantasias, saem nas ruas, fazem festa, é muito legal mesmo. A balada acabou abrindo quase duas horas depois do esperado, nesse meio tempo, já tínhamos perdido a paciência, tomado chuva na cabeça e enfiado os saltos na lama, mas resistimos a tudo, e não víamos a hora de entrar e aproveitar, afinal, a festa era open bar e free food!

Quando chegamos lá dentro, nos dividimos, e metade foi pra fila da bebida e a outra metade pra fila da comida. Bom, todos abastecidos, hora de dançar e começar a causar. Quando botamos nosso pezinho gelado - digo isso porque foi muito azar - na pista de dança, o DJ abaixou o volume da música dizendo que foram ordens da polícia. Eu, que gosto pouco de música, gritei "Como assiiiim???". O que tinha acontecido foi que a festa tinha acabado, e começaram a colocar todo mundo pra fora.

Nós tínhamos conseguido pegar 3 drinks cada um e comer uma merreca de comida, mas fazer o que?Saimos frustados em busca de outra coisa, afinal era Halloween e em NY.

Saímos de lá gritando pelas ruas, fazendo a maior festa, pensamos "Vamos fazer a nossa própria festa, afinal o que é um galho para quem já está com a árvore inteira enfiada no c...? Como diz um amigo.

Pelas ruas de Manhattan mais ou menos as 2 da manhã - a Pinup Girl, a Mulher Gato, a Dançarina de Can Can, a Rainha de Copas, O Bafômetro (sim, o amigo do primo se vestiu de bafômetro, e não preciso nem falar onde era o canudo de assoprar, né?) e o Lutador de Jiu jitsu (o primo) - saíram fazendo a maior festa em busca de alguma coisa pra fazer, ou pelo menos um lugar pra beber mais.

Essa altura meu nível de álcool já tinha ido pro beleleu e eu já estava começando a ficar emburrada. Mas o primo salvou a noite e pediu para o Chuck (era a fantasia do menino amigo do primo) ir nos buscar. Ele foi e nos levou para num bar, que eu nem sei o nome nem a região, só sei que era em algum lugar em New York.

Ao entrar no lugar pensei: Meu Deus, vim pra NY parar num bar podre desse?? Ainda bem que pelo menos as baladas lá fecham tarde, não as 2 da manhã que nem em DC. Bom, resolvi deixar a chatice de lado e comecei a aloprar também, porque as meninas já estavam no clima.

A rainha de copas lançava pros tchutchugethers "Hi, do you like play cards?", a dançarina de Can Can tirava fotos com todo mundo, a mulher gato só chicoteando a galera e eu entrei no clima também e até um drink apareceu na minha mão, descobri no dia seguinte que tinha sido o Bafômetro que tinha pagado, mas na hora, sei que mandei guela abaixo e a alegria começou a vir a tona.

O lugar estava cheio de gatinhos, pra quê? Eu nao resisti e soltei uma cantada de pedreiro para um gatinho vestido de Scooby Doo: "Eu ainda estou de batom?" e ele respondeu "Sim" e eu continuei "Você poderia tirar" (pqp eu posso trabalhar na obra). A outra integrante do Quarteto faturou um Jason, não feio como o do filme, muito pelo contrário!

A causação master foi quando a Dançarina de Can Can achou (sim, achou em cima duma mesa) um pirulito em forma de pinto e com as cores da bandeira gay. Aquilo foi a sensação do bar, todo mundo queria tirar foto chupando o tal do pirulito, ela tirou foto até com a p-u-l-i-ç-a (de verdade) segurando o pirulito gay. Coitado do primo e dos amigos dele que estavam conosco, eles foram muito gente boa, nos aturaram sem reclamar, mas também deram muita risada.

No dia seguinte, depois de um breve passeio pela Times Square e redondezas, era hora de voltar pra casa. Corremos que nem palhaças atrás de taxi pra chegar em Chinatown, quase perdemos a hora, mas chegamos bem na hora do onibus sair e as 4 horas e meia de viagens foram so lembrando das presepadas que foi esse fim de semana em busca de um Halloween perfeito.

5 comentários:

  1. Mesmo com essas e outras eu ameiiiiiiiiiiiiiiiiiiiii

    ResponderExcluir
  2. huauhehuhahehuahuheuhuahuheuha vo t contar o meu halloween em NY tbm viu...

    ResponderExcluir
  3. Maricota, adorei...e muito bom ficar relembrando, pricipalmente o fato q a gente fez o proprio Halloween, no Tavern, na rua, no bar, no carro...mas a parte da mulher gato ligando pro numero errado hahaha for God's sake...
    Ready for another party in NY??? hahaha

    ResponderExcluir
  4. HUAUAU da hora hein!
    Que sacanagem isso que aconteceu na primeira festa bixo! Comédia o que vc gritou...

    Fico imaginando a pulissa com esse pinto gay em fotos, HUAHUUHAUHA...

    Abraçoss!

    ResponderExcluir
  5. Uauuu Mari...que aventura, vc nunca irá esquecer seu Halloween! rs. Escreve maiss...amooo saber como está sendo sua morada no EUA.
    Beijoss maguelinhaa das pernas grossas rs.
    Aline.

    ResponderExcluir

quinta-feira, 5 de novembro de 2009

Em busca do Halloween perfeito!


Pela primeira vez, estaríamos nos Estados Unidos para o Halloween, uma das festas mais divertidas no pais. Todos fantasiados saindo pelas ruas e dizendo "Trick or Treat", igualzinho nos filmes. Com toda essa expectativa eu umas amigas (O Quarteto Fantástico) resolvemos fazer algo diferente para ser inesquecível, então decidimos: Vamos pra New York!

E la vamos nós, pegamos o busão dos Chineses (um onibus velho de chineses que fazem viagens a preço de banana) no sábado, dia 31, pela manhã em DC. Dormimos a viagem toda, por volta de 4 horas depois chegamos em Chinatown em NY.

O primo de uma das integrantes do Quarteto foi nos buscar, ele mora em NY há muito tempo, chegamos na casa dele, me senti no Brasil, uma brasileirada só e ainda preparando uma feijoada. Depois do "momento Brasil" tiramos um cochilo, e depois começamos os preparativos para ir para o Central Park, onde seria a tão esperada festa de halloween do ano em NY.


O lugar estava lotado, uma fila imensa pra entrar, mas já tínhamos garantido nossos ingressos, que diga-se de passagem custaram $60 doletas cada. Fiquei muito empolgada, realmente o Halloween é muito festejado, as pessoas capricham nas fantasias, saem nas ruas, fazem festa, é muito legal mesmo. A balada acabou abrindo quase duas horas depois do esperado, nesse meio tempo, já tínhamos perdido a paciência, tomado chuva na cabeça e enfiado os saltos na lama, mas resistimos a tudo, e não víamos a hora de entrar e aproveitar, afinal, a festa era open bar e free food!

Quando chegamos lá dentro, nos dividimos, e metade foi pra fila da bebida e a outra metade pra fila da comida. Bom, todos abastecidos, hora de dançar e começar a causar. Quando botamos nosso pezinho gelado - digo isso porque foi muito azar - na pista de dança, o DJ abaixou o volume da música dizendo que foram ordens da polícia. Eu, que gosto pouco de música, gritei "Como assiiiim???". O que tinha acontecido foi que a festa tinha acabado, e começaram a colocar todo mundo pra fora.

Nós tínhamos conseguido pegar 3 drinks cada um e comer uma merreca de comida, mas fazer o que?Saimos frustados em busca de outra coisa, afinal era Halloween e em NY.

Saímos de lá gritando pelas ruas, fazendo a maior festa, pensamos "Vamos fazer a nossa própria festa, afinal o que é um galho para quem já está com a árvore inteira enfiada no c...? Como diz um amigo.

Pelas ruas de Manhattan mais ou menos as 2 da manhã - a Pinup Girl, a Mulher Gato, a Dançarina de Can Can, a Rainha de Copas, O Bafômetro (sim, o amigo do primo se vestiu de bafômetro, e não preciso nem falar onde era o canudo de assoprar, né?) e o Lutador de Jiu jitsu (o primo) - saíram fazendo a maior festa em busca de alguma coisa pra fazer, ou pelo menos um lugar pra beber mais.

Essa altura meu nível de álcool já tinha ido pro beleleu e eu já estava começando a ficar emburrada. Mas o primo salvou a noite e pediu para o Chuck (era a fantasia do menino amigo do primo) ir nos buscar. Ele foi e nos levou para num bar, que eu nem sei o nome nem a região, só sei que era em algum lugar em New York.

Ao entrar no lugar pensei: Meu Deus, vim pra NY parar num bar podre desse?? Ainda bem que pelo menos as baladas lá fecham tarde, não as 2 da manhã que nem em DC. Bom, resolvi deixar a chatice de lado e comecei a aloprar também, porque as meninas já estavam no clima.

A rainha de copas lançava pros tchutchugethers "Hi, do you like play cards?", a dançarina de Can Can tirava fotos com todo mundo, a mulher gato só chicoteando a galera e eu entrei no clima também e até um drink apareceu na minha mão, descobri no dia seguinte que tinha sido o Bafômetro que tinha pagado, mas na hora, sei que mandei guela abaixo e a alegria começou a vir a tona.

O lugar estava cheio de gatinhos, pra quê? Eu nao resisti e soltei uma cantada de pedreiro para um gatinho vestido de Scooby Doo: "Eu ainda estou de batom?" e ele respondeu "Sim" e eu continuei "Você poderia tirar" (pqp eu posso trabalhar na obra). A outra integrante do Quarteto faturou um Jason, não feio como o do filme, muito pelo contrário!

A causação master foi quando a Dançarina de Can Can achou (sim, achou em cima duma mesa) um pirulito em forma de pinto e com as cores da bandeira gay. Aquilo foi a sensação do bar, todo mundo queria tirar foto chupando o tal do pirulito, ela tirou foto até com a p-u-l-i-ç-a (de verdade) segurando o pirulito gay. Coitado do primo e dos amigos dele que estavam conosco, eles foram muito gente boa, nos aturaram sem reclamar, mas também deram muita risada.

No dia seguinte, depois de um breve passeio pela Times Square e redondezas, era hora de voltar pra casa. Corremos que nem palhaças atrás de taxi pra chegar em Chinatown, quase perdemos a hora, mas chegamos bem na hora do onibus sair e as 4 horas e meia de viagens foram so lembrando das presepadas que foi esse fim de semana em busca de um Halloween perfeito.

5 comentários:

  1. Mesmo com essas e outras eu ameiiiiiiiiiiiiiiiiiiiii

    ResponderExcluir
  2. huauhehuhahehuahuheuhuahuheuha vo t contar o meu halloween em NY tbm viu...

    ResponderExcluir
  3. Maricota, adorei...e muito bom ficar relembrando, pricipalmente o fato q a gente fez o proprio Halloween, no Tavern, na rua, no bar, no carro...mas a parte da mulher gato ligando pro numero errado hahaha for God's sake...
    Ready for another party in NY??? hahaha

    ResponderExcluir
  4. HUAUAU da hora hein!
    Que sacanagem isso que aconteceu na primeira festa bixo! Comédia o que vc gritou...

    Fico imaginando a pulissa com esse pinto gay em fotos, HUAHUUHAUHA...

    Abraçoss!

    ResponderExcluir
  5. Uauuu Mari...que aventura, vc nunca irá esquecer seu Halloween! rs. Escreve maiss...amooo saber como está sendo sua morada no EUA.
    Beijoss maguelinhaa das pernas grossas rs.
    Aline.

    ResponderExcluir

Receba um e-mail quando o blog for atualizado